TAUBATÉ CONQUISTA O TROFÉU SUPER VÔLEI

O campeão do Super Vôlei/Divulgação CBV/InnovaFoto/Wander Roberto

Pelo Troféu Super Vôlei, na abertura da temporada nacional de clubes do naipe masculino, o EMS/Funvic/Taubaté conquistou o seu 1º título na temporada. Em 2020, na semana passada, o time do Vale do Paraíba perdeu a decisão do Campeonato Paulista para o Vôlei Renata/Campinas. Ontem, jogando em Belo Horizonte, na Arena Minas, na final do Super Vôlei, o Taubaté derrotou o Sada/Cruzeiro, por 3×0, com parciais de 25/23, 29/27, 25/21. Com o resultado, o Taubaté foi campeão do torneio com três vitórias por 3×0.

Ao final do confronto, o ponteiro João Rafael do Taubaté, eleito o melhor em quadra, em votação popular pela internet, conversou com a assessoria da CBV, sobre a conquista do título. “Estou muito feliz! Sofremos muito com a derrota no Paulista, fechamos o nosso grupo, blindamos e essa vitória é da equipe. Tenho que agradecer todo o trabalho da comissão técnica. Toda a equipe é sensacional e estou aprendendo muito. Quero me esforçar para aprender ainda mais. Tenho certeza que vai dar certo”.

Já o ponteiro Filipe do Cruzeiro lamentou a derrota, fazendo uma análise da partida. “É um começo de temporada e acredito que a nossa equipe está crescendo aos pouquinhos. Hoje enfrentamos um grande time, sabíamos da dificuldade, mas acho que faltou a gente querer mais, ter mais convicção em momentos decisivos. Estamos montando um grupo novo, construído a cada jogo. Acho que as novas peças estão começando a entender que esta camisa tem um peso”.

O Troféu Super Vôlei foi criado para suprir a não realização dos playoffs da temporada 2019/2020 da Superliga, que foram cancelados em virtude da pandemia do COVID-19.

EMS/FUNVIC/TAUBATÉ – Bruninho, Felipe Roque, João Rafael, Maurício Borges, Lucão, Maurício Souza, Thales (L). Entraram: Biela, Raphael. Técnico: Javier Weber

SADA/CRUZEIRO – Cachopa, Alan, Conte, López, Isac, Otávio, Lukinha (L). Entraram: Filipe, Rodriguinho, Cledenilson, Oppenkoski. Técnico: Marcelo Mendez

A campanha do título

Quartas-de-final

21/10 Taubaté 3×0 Vôlei Ribeirão 25/17, 25/13, 25/12

Semifinal

23/10 Taubaté 3×0 Minas 25/23, 25/20, 25/13

Final

24/10 Taubaté 3×0 Cruzeiro 25/23, 29/27, 25/21

Fonte: CBV

DE VIRADA, ITAMBÉ/MINAS É HEPTACAMPEÃO MINEIRO

Pela sétima vez, o Itambé/Minas é campeão mineiro feminino de vôlei. Jogando em Uberlândia, na Arena Praia, pela 3ª rodada da competição, o atual campeão sul-americano derrotou o Praia Clube, time da casa, de virada, por 3×1, com parciais de 22/25, 25/15, 25/12, 25/22. Com o resultado, o Minas igualou a marca de títulos estaduais do Praia no campeonato mineiro. As duas equipes possuem 7 conquistas na história do torneio. Completou o pódio da competição de 2020, na 3ª posição, o Brasília Vôlei após vencer o Valinhos por 3×0, também em jogo válido pela 3ª rodada do torneio.

Ao final da partida, a central Thaísa do Minas conversou com a imprensa sobre o jogo com o Praia e a conquista do título. “É muito difícil jogar contra o Praia, a gente tem de entrar forte. Começamos mal, mas depois retomamos o nosso jogo. Estamos felizes com a vitória, mas sabemos que todos os times ainda vão evoluir muito. De qualquer forma, ganhar um clássico e ganhar um título é muito bom”.

O campeão mineiro feminino de vôlei 2020/Divulgação FMV

APÓS 3 ANOS, OSASCO VENCE O PAULISTA NOVAMENTE

Depois de 3 anos de jejum, o Osasco/Audax voltou a conquistar o Campeonato Paulista feminino de vôlei. Foi o décimo quinto título estadual da equipe na história da competição. Em 2020, na decisão do torneio, jogando no domínio adversário, no Ginásio Panela de Pressão, contra o Sesi/Bauru, após abrir 2×0 no placar, o Osasco sofreu uma virada no tie-break. Como havia vencido o 1º jogo das finais, em casa, também no tie-break, o time dirigido pelo técnico Luizomar de Moura precisou do Golden Set para conquistar o campeonato por 25×22. Com a derrota, depois de uma 1ª fase invicta, o time do técnico Anderson Rodrigues perdeu a chance de conquistar o 2º título estadual. Em 2018, o Sesi/Bauru foi campeão paulista derrotando o Osasco nas finais.

O campeão paulista pela 15ª vez/Divulgação

SESC/FLAMENGO É CAMPEÃO CARIOCA

Ontem, 19 de Outubro, na Gávea, no Rio de Janeiro, o Sesc/Flamengo conquistou o Campeonato Carioca feminino de vôlei 2020. Na decisão do título, a equipe rubro-negra derrotou o Fluminense por 3×0, com parciais de 25/22, 25/19, 25/22. Foi o primeiro título da recém parceria entre o time de Bernardinho e o clube de futebol mais popular do país. Com o resultado, o bicampeão olímpico foi campeão carioca feminino pela 17ª vez.

Como Rio de Janeiro, o projeto de Bernardinho venceu o estadual feminino por 16 vezes. A última vez em que uma equipe quebrou essa hegemonia foi em 2016. Naquele ano, o Fluminense, maior campeão estadual com 28 títulos, venceu o campeonato. Já o Flamengo, não era campeão carioca desde 1984, há 36 anos.

O campeão carioca ergue o troféu/Divulgação

CAMPEONATO MINEIRO FEMININO 2020

SADA/CRUZEIRO MANTÉM HEGEMONIA EM MINAS

No último sábado, 17 de Outubro, em Belo Horizonte, na Arena Minas, o Sada/Cruzeiro conquistou o Campeonato Mineiro de 2020. Foi o décimo segundo título do time celeste na competição. A equipe comandada pelo argentino Marcelo Mendez mantém uma hegemonia estadual de 11 anos. Anteriormente, o Cruzeiro foi campeão mineiro em 2008, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

Em 2020, na decisão, o Sada bateu o rival Minas por 3×1, com parciais de 25/21, 25/17, 23/25, 25/23. Foi a segunda vitória dos cruzeirenses sobre o Minas na competição. Na fase regular, o Sada derrotou o Minas por 3×2. Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, o Uberlândia/Gabarito. Na disputa do bronze, o time do Triângulo Mineiro venceu o América/Montes Claros, de virada, no tie-break, com parciais de 19/25, 25/23, 25/20, 22/25, 16/14.

O campeão mineiro de 2020/Divulgação FMV/Poliana Serra

VÔLEI RENATA É CAMPEÃO ESTADUAL

O campeão paulista de 2020/Divulgação/Filipe Rodrigues

O Vôlei Renata/Campinas conquistou o título do Campeonato Paulista masculino de vôlei 2020. Foi o primeiro título estadual do projeto na história da competição. Anteriormente, sobre outra nomenclatura, a cidade de Campinas foi campeã paulista em 1996. Em 2020, jogando em Taubaté, no Ginásio do Abaeté, na decisão do campeonato, o Vôlei Renata bateu o EMS/Funvic/Taubaté, de virada, por 3×1, com parciais de 23/25, 25/21, 25/18, 25/17. Como também havia vencido o primeiro jogo das finais no tie-break, em Campinas, não houve necessidade da disputa do Golden Set. Com a conquista, o Vôlei Renata quebrou uma hegemonia de seis anos do Taubaté na competição. O time do Vale do Paraíba era o atual hexacampeão do torneio.

AS FINAIS DO PAULISTA FEMININO

A partir do próximo sábado, 17 de Outubro, Osasco/Audax e Sesi/Bauru decidem o Campeonato Paulista feminino de vôlei. A disputa pelo título de 2020 acontece em dois jogos, com Golden Set. A primeira partida está marcada para o Ginásio José Liberatti, às 21h30, em Osasco, com transmissão do canal por assinatura SPORTV 2. O segundo e decisivo duelo ocorre na terça-feira, 20 de Outubro, em Bauru, no Ginásio Panela de Pressão, às 21h30, também com transmissão do SPORTV 2.

O Sesi/Bauru chega nas finais invicto. Na 1ª fase, terminou em 1º lugar. No confronto direto contra o Osasco, na fase regular, conquistou uma vitória por 3×0. Nas semifinais, diante do Pinheiros, o time dirigido por Anderson Rodrigues avançou para as finais com dois triunfos por 3×0.

No entanto, no primeiro jogo dessa fase, uma grande polêmica tomou conta das redes sociais, depois de um erro de arbitragem grotesco. A líbero Castillo do Bauru foi criticada por não acusar que uma pingada do Pinheiros tocou o chão no momento decisivo do 2º set.

Já o Osasco, também avançou para as finais com duas vitórias por 3×0, sem sustos, contra o São Paulo/Barueri, de José Roberto Guimarães. Foi a revanche da derrota em 2019. No ano passado, o Osasco perdeu o título paulista para o time do tricampeão olímpico na final.

Finais

Os dois técnicos finalistas conversaram com a FPV sobre a classificação para a decisão. “Obviamente que estamos muito felizes com o resultado e a conquista da vaga, mas foi um jogo em que tivemos muitos erros”, disse o treinador do Bauru, Anderson Rodrigues, após o segundo jogo com o Pinheiros.

Já Luizomar de Moura, treinador do Osasco, destacou as jovens jogadoras de sua equipe. “Vi essa garotada nascer. São meninas de muito potencial e é uma alegria ter a oportunidade de seguir contribuindo para o seu crescimento. Estou muito feliz com a classificação para a final, mas ainda mais com a construção desse time”.

Fonte: FPV

AS FINAIS DO PAULISTA MASCULINO

Pelo segunda vez consecutiva, Taubaté e Campinas decidem o Campeonato Paulista masculino de vôlei. No ano passado, o time do Vale do Paraíba levou a melhor sobre o Campinas. Em 2020, o Taubaté chegou as finais da competição pela sétima vez consecutiva, sem perder uma parcial sequer. Foram 6 vitórias em 6 jogos pelo placar máximo, ou seja, 3×0, inclusive contra o seu adversário da final. Caso o resultado de 2019 aconteça novamente, o Taubaté será heptacampeão paulista. Anteriormente, o time dirigido pelo argentino Javier Weber venceu o estadual em: 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

As finais do Paulista 2020 serão decididas em dois jogos, com Golden Set. O primeiro jogo ocorre nesta terça-feira, 13 de Outubro, às 21h30, no Ginásio do Taquaral, em Campinas, com transmissão do canal por assinatura SPORTV 2. O segundo jogo está marcado para sexta-feira, 16 de Outubro, também às 21h30, no Ginásio do Abaeté, em Taubaté, também com transmissão do SPORTV 2.

Em conversa com a FPV, os líberos dos dois times finalistas falaram sobre a expectativa para a decisão. “Fizemos uma boa série nas semifinais. Jogamos bem, os sistemas de defesa e ataque funcionaram e erramos pouco. Foi um bom trabalho de todos. Vamos tentar manter essa pegada para as finais”, disse Bruno Mello, do Vôlei Renata/Campinas.

Já Thales do EMS/Funvic/Taubaté ressaltou a cautela. “Não podemos nos iludir com essa campanha de 100% de aproveitamento, ainda invictos, etc. Nosso time é formado por atletas experientes, de seleção, não podemos nos contentar apenas com placares. Temos sempre que jogar o máximo que nós podemos, com intensidade e buscar nosso melhor voleibol sempre”.

Fonte: FPV

CBV DIVULGA TABELA DA PRÓXIMA SUPERLIGA

Na última quarta-feira, 7 de Outubro, a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) divulgou a tabela da temporada 2020/2021 da Superliga. No masculino, a abertura da competição acontece no fim desse mês, no dia 31, no confronto entre Vôlei Um Itapetininga contra Apan/Blumenau, no ginásio Ayrton Senna, em Itapetininga (SP), às 17h, com transmissão pela plataforma de streaming Canal Vôlei Brasil. Já no feminino, o primeiro jogo da Superliga acontece entre Curitiba Vôlei versus Osasco/Audax, no ginásio do Colégio Positivo, em Curitiba (PR), no dia 9 de Novembro, às 19h, também com transmissão da plataforma de streaming Canal Vôlei Brasil.

Nas duas categorias os confrontos de quartas-de-finais, semifinais e finais serão disputados em série melhor de três. As finais do torneio masculino estão previstas para os dias 10, 17 e 21 de Abril. No feminino, a disputa do título da temporada está programada para os dias 9, 13 e 16 de Abril. Nos links abaixo, você acessa a tabela completa da Superliga 2020/2021 nos dois naipes.

Participam da Superliga Masculina 2020/2021, os seguintes times: Apan/Blumenau, Minas Tênis Clube, Vôlei Um Itapetininga, Montes Claros América Vôlei, Caramuru Vôlei, Sada Cruzeiro, EMS Funvic Taubaté, Sesi/SP, Azulim/Gabarito/Uberlândia, Vedacit/Vôlei Guarulhos, Pacaembú Ribeirão, Vôlei Renata/Campinas. Participam da Superliga Feminina 2020/2021, os seguintes times: Sesi/Bauru, Brasília Vôlei, Curitiba Vôlei, Fluminense, Itambé/Minas, Osasco/Audax/São Cristóvão Saúde, Pinheiros, Dentil/Praia Clube, São José dos Pinhais, Sesc/Flamengo, São Paulo/Barueri, São Caetano.

https://superliga.cbv.com.br/arquivos/TABELA-OFICIAL-SUPERLIGA-BB-FEMININA-2020-2021.pdf

https://superliga.cbv.com.br/arquivos/TABELA-OFICIAL-SUPERLIGA-BB-MASCULINA-2020-2021.pdf

Fonte: CBV