PELAS SEMIFINAIS DA VNL, EUA DERROTA A POLÔNIA

O Estados Unidos estão na decisão da Liga das Nações masculina de vôlei 2022. Jogando contra a Polônia, pelas semifinais da competição, a seleção norte-americana derrotou a atual bicampeã mundial, em sets diretos, com parciais de 25/22, 25/23, 25/13. A Polônia cometeu muitos erros no serviço. Ao contrário dos Estados Unidos, que marcou 9 pontos diretos no fundamento. O ponteiro De Falco dos Estados Unidos foi o maior pontuador do confronto, com 13 pontos. Pela Polônia, o oposto Kurek marcou 11 pontos. Com o resultado, os Estados Unidos chegam na final da VNL pela segunda vez na história da competição. Em 2019, eles foram derrotados pelos russos na decisão, dentro de casa. O adversário dos Estados Unidos na final de 2022 será definido no confronto entre Itália e França, logo mais, às 16h.

O ponteiro norte-americano De Falco foi o destaque individual da semifinal com a Polônia. Ele marcou 6 pontos diretos somente no serviço/Volleyball World/Divulgação FIVB

NO TIE-BREAK, POLÔNIA DESPACHA O IRÃ

A Polônia venceu o Irã, em jogo válido pelas quartas-de-final da VNL masculina 2022. Na partida mais equilibrada e emocionante dessa fase, os poloneses bateram os iranianos, no tie-break, com parciais de 25/21, 24/26, 25/18, 16/25, 15/7. O ginásio em Bolonha, na Itália, foi invadido pela torcida iraniana e polonesa. A cada ponto, um barulho ensurdecedor era escutado no ginásio. Fazendo valer o seu favoritismo, a Polônia foi beneficiada pelo excesso de erros do Irã. Ao todo, foram 39 pontos em erros cedidos pelo iranianos contra 29 dos poloneses. Além disso, de acordo com as estatísticas da FIVB, o Irã foi superior em todos os fundamentos, menos no bloqueio. Houve um empate no serviço, com 6 pontos diretos no fundamento para cada seleção. Mesmo com o revés, o oposto iraniano Amin foi o maior pontuador do confronto, com 22 pontos. Pela Polônia, o ponteiro Seminiuk marcou 17 pontos.

🇵🇱 POLÔNIA Janusz (0), Kurek (15), Seminiuk (17), Sliwka (10), Bieniek (9), Kochanowski (6), Zatorski (L). Entraram: Lomacz (0), Kaczmarek (3), Butryn (0), Bednorz (0), Fornal (0), Klos (6). Técnico: Nikola Grbic

🇮🇷 IRÃ Vadi (0), Amin (22), Milad (17), Esfandiar (14), Jelveh (6), Toukhteh (6), Hazratpour (L). Entraram: Fazel (0), Badiar (0), Sharifi (1), Amir (1), Daneshdoust (1). Técnico: Ataei Nouri

A torcida polonesa marcou presença em Bolonha, na Itália/Volleyball World/Divulgação FIVB

SEMIFINAIS

Nas semifinais da Liga das Nações masculina de vôlei 2022, a Polônia joga contra os Estados Unidos. A partida está marcada para o próximo sábado, 23 de Julho, às 13h, em Bolonha, na Itália. O confronto terá transmissão do SPORTV 2 e do canal Volleyball World na internet.

A Polônia nunca venceu a VNL. Seu melhor resultado foi o vice-campeonato em 2021/Volleyball World/Divulgação FIVB

EM SETS DIRETOS, FRANÇA CONQUISTA VAGA NAS SEMIFINAIS DA VNL 22

A França é semifinalista da Liga das Nações masculina de vôlei 2022. Jogando contra o Japão, pelas quartas-de-finais da competição, os franceses avançaram de fase, com uma vitória por 3×0, com parciais de 26/24, 25/16, 25/20. Em jogo de muitos erros, foram 47 no total, o ataque francês foi o grande responsável pelo triunfo, com 41 pontos no fundamento contra somente 30 do Japão. A seleção nipônica ainda tentou equilibrar as ações da partida no serviço, mas não foi o suficiente. Como previsto, o bloqueio da França foi superior no jogo com 8 pontos diretos, de acordo com as estatísticas da FIVB. O oposto francês Patry foi o maior pontuador do confronto, com 19 pontos. Pelo Japão, o oposto Nishida marcou 8 pontos.

🇫🇷 FRANÇA Brizard (4), Patry (19), Clevenot (7), Louati (10), Le Goff (6), Chinenyeze (6), Grebennikov (L). Entraram: Ngapeth (0), Boyer (0), Jouffroy (0). Técnico: Andrea Giani

🇯🇵 JAPÃO Sekita (0), Nishida (8), Otsuka (5), Takanashi (3), Onodera (7), Yamauchi (7), Yamamoto (L). Entraram: Oya (0), Ran (4), Miyaura (3). Técnico: Philippe Blain

O oposto Patry foi a bola de segurança da França no jogo com o Japão/Volleyball World/Divulgação FIVB

PRÓXIMA FASE

Na próxima fase da Liga das Nações masculina de vôlei 2022, a França enfrenta a Itália nas semifinais da competição. O confronto está marcado para o próximo sábado, 23 de Julho, às 16h. A partida terá transmissão do SPORTV 2 e do canal Volleyball World na internet.

Os franceses, atuais campeões olímpicos, estão em busca do inédito título da VNL. Em 2018, eles foram derrotados na decisão pela Rússia/Volleyball World/Divulgação FIVB

PELA 1ª VEZ, ITÁLIA É SEMIFINALISTA DA VNL MASCULINA

A Itália é semifinalista da Liga das Nações masculina de vôlei, pela primeira vez na história da competição. Jogando em casa, na cidade de Bolonha, a Itália bateu a Holanda, pelas quartas-de-finais da VNL 2022, de virada. O placar final do confronto ficou em 3×1, a favor dos italianos, com parciais de 21/25, 25/22, 25/13, 25/22. Os italianos foram beneficiados pelo alto número de erros dos holandeses. No total, a Holanda cedeu 30 pontos em erros contra 20 da Itália. Além disso, contrariando as expectativas, o maior pontuador da partida não foi o oposto holandês Nimir. Com 20 pontos, Tuinstra da Holanda liderou a pontuação do jogo. Pela Itália, Romano marcou 16 pontos.

🇮🇹 ITÁLIA Gianelli (3), Romano (16), Lavia (13), Michieletto (12), Anzani (2), Russo (12), Balaso (L). Entraram: Galassi (7), Zaytsev (1), Bottolo (0). Técnico: Ferdinando de Giorgio

🇳🇱 HOLANDA Keemink (1), Nimir (16), Tuinstra (20), Ter Horst (3), Plak (8), Wiltenburg (3), Andriga (L). Entraram: Jorna (4), Van Garderen (5), De Weijer (0), Van Tilburg (2), Parkinson (0). Técnico: Roberto Piazza

O bloqueio italiano marcou o triplo de pontos no fundamento a mais do que a Holanda/Volleyball World/Divulgação FIVB

PÓS – JOGO

Ao final do jogo, o levantador Gianelli da Itália comentou sobre a vitória, em entrevista para o Volleyball World. “Estamos muito orgulhosos de estar aqui e jogar na frente de nossos torcedores. A atmosfera aqui em Bolonha é incrível. Não começamos o jogo tão bem e a Holanda é uma equipe muito boa. Sabíamos disso e continuamos jogando, continuamos pressionando e no final vencemos a partida. Somos um grupo incrível e jogamos pela Itália com uma mentalidade boa e forte. Temos que melhorar nosso jogo, mas estou muito orgulhoso do meu time!”.

O levantador Gianelli é um dos líderes da renovada seleção italiana/Volleyball Worl/Divulgação FIVB

SEMIFINAIS

Na próxima fase da VNL 22, a Itália enfrenta o vencedor do confronto entre Japão e França, nas semifinais da competição. A partida está marcada para o próximo sábado, 23 de Julho, em Bolonha, na Itália, ainda sem horário confirmado. O jogo terá transmissão do SPORTV 2 e do canal Volleyball World na internet.

A Itália nunca venceu a Liga das Nações/Volleyball World/Divulgação FIVB

DE VIRADA, BRASIL É ELIMINADO PELOS ESTADOS UNIDOS

O Brasil está fora da Liga das Nações masculina de vôlei 2022. Em jogo válido pelas quartas-de-finais da competição, disputado em Bolonha, na Itália, o Brasil foi eliminado pelos Estados Unidos, de virada. O placar final do confronto ficou em 3×1, a favor dos norte-americanos, com parciais de 20/25, 25/22, 25/23, 25/17. Os brasileiros cederam 28 pontos em erros contra 21 dos Estados Unidos. Além disso, os norte-americanos foram superiores no serviço e bloqueio, de acordo com as estatísticas da FIVB. Mesmo com a derrota, o ponteiro Leal do Brasil foi o maior pontuador do confronto, com 18 acertos. Pelos Estados Unidos, De Falco marcou 17 pontos.

🇺🇸EUA Christenson (3), Ensing (6), De Falco (17), Russel (14), Smith (11), Jendryk (8), Shoji (L). Entraram: Muagututia (0), K. Russel (8). Técnico: John Speraw

🇧🇷BRASIL Bruninho (0), Darlan (13), Leal (18), Lucarelli (16), Flávio (9), Isac (1), Thales (L). Entraram: Lucão (8), Cachopa (1), Aracaju (0), Adriano (0), Maique (L). Técnico: Renan Dal Zotto

O bloqueio norte-americano marcou mais que o dobro de pontos do que o bloqueio brasileiro. Ao todo, foram 7 pontos no fundamento contra 3 do Brasil/Volleyball World/Divulgação FIVB

PÓS – JOGO

Após a partida, o líbero norte-americano Shoji comentou sobre o jogo com o Brasil, em entrevista para o Volleyball World. “Toda vez que jogamos com o Brasil, é uma batalha. Eles são uma das melhores seleções do mundo. Queríamos lutar e nos divertir. Acho que fizemos isso com certeza. É sempre bom vencer! Nós estamos nas semifinais!”

Já o levantador Bruninho falou sobre o desempenho do Brasil durante a VNL 22. “Foi uma competição difícil. Hoje enfrentamos um adversário muito forte, um duelo que é um clássico do voleibol mundial. Eles foram melhores e acabaram levando a vitória. Tivemos pontos positivos como a chegada do Darlan e o desempenho dos centrais que foram muito bem em toda a competição. Agora temos que seguir acreditando no processo e continuar trabalhando. Ainda temos o que evoluir e o nosso time mostrou mais uma vez que tem jogadores que podem fazer a diferença e mudar uma partida”.

O levantador Bruninho falou sobre o crescimento dos centrais brasileiros na VNL/Volleyball World/Divulgação FIVB

PRÓXIMA FASE

Na próxima fase da Liga das Nações masculina 2022, os Estados Unidos enfrentam o vencedor do confronto entre Polônia e Irã, nas semifinais da competição. A partida está marcada para o próximo sábado, 23 de Julho, em Bolonha, na Itália, ainda sem horário definido. O jogo terá transmissão do SPORTV 2 e do canal Volleyball World na internet.

Os Estados Unidos estão em busca do título inédito da VNL. Em 2019, perderam a final da competição para a Rússia/Volleyball World/Divulgação FIVB

AS FINAIS DA VNL MASCULINA 2022

Começa nesta quarta-feira, 20 de Julho, em Bolonha, na Itália, as finais da Liga das Nações masculina de vôlei 2022. As sete melhores seleções da 1ª fase, mais a Itália, disputam o título da temporada, em formato eliminatório. Sexta melhor campanha na 1ª fase, o Brasil enfrenta os Estados Unidos, nas quartas-de-finais da competição. O Brasil foi muito irregular na 1ª fase. Para complicar, a seleção brasileira perdeu o seu maior pontuador no torneio, o oposto Alan. Ele se lesionou em um jogo da 2ª etapa na Bulgária. Em seu lugar entrou o seu irmão, o oposto Darlan. O jovem não comprometeu o Brasil nas partidas que disputou.

No entanto, para jogar contra os Estados Unidos, o levantador Bruninho terá que pensar muito bem na sua distribuição. Se ele perder o seu oposto no confronto, será difícil superar o bloqueio norte-americano. Na atual conjuntura, analisando todos os fatores, os Estados Unidos são favoritos contra o Brasil, independentemente com qual formação entrará em quadra. O Brasil precisa se preparar para a possibilidade de não contar com o seu oposto, em grande performance.

O bloqueio norte-americano, em partida com a França/Volleyball World/Divulgação FIVB

CRUZAMENTO OLÍMPICO

Se conseguir passar pelos Estados Unidos, o Brasil terá pela frente o vencedor do confronto entre Polônia e Irã. Caso aconteça a lógica nesse confronto, os brasileiros irão reeditar a última final da Liga das Nações e do Campeonato Mundial, contra a Polônia, nas semifinais da competição. Será mais um desafio para os brasileiros. Das quatro derrotas na 1ª fase, uma delas foi para a Polônia, na etapa da Bulgária, por 3×1.

Já se o Brasil for eliminado pelos Estados Unidos, uma nova seleção campeã da Liga das Nações será conhecida! Se ganhar a VNL masculina, a anfitriã Itália poderá conseguir uma dobradinha inédita na história do torneio. Sua seleção feminina acabou de conquistar a versão feminina da competição. Outras seleções candidatas ao título, além de Itália e Estados Unidos, são a França e a Polônia.

AS ESTATÍSTICAS DA VNL MASCULINA 2022

Com o encerramento da fase regular da Liga das Nações masculina de vôlei 2022, o blog apresenta um panorama do desempenho individual dos atletas, com base nos dados estatísticos da FIVB. Neste estágio da competição, às vésperas das finais, o oposto Nimir da Holanda lidera na pontuação, com 231 pontos. Na vice-liderança aparece o oposto iraniano Amin, com 193 pontos. Em 3º lugar na pontuação, o japonês Nishida, com 193 pontos. Em 4º lugar, o jovem ponteiro Nikolov da Bulgária, com 172 pontos. Fechando o top 5 da pontuação, o japonês Ishikawa, com 164 pontos. O melhor brasileiro colocado, mesmo lesionado, é o oposto Alan, com 113 pontos, em 24º lugar. A seguir, o top 5 de cada fundamento.

ATAQUE

1 – Nimir da Holanda com 191 ataques vencedores

2 – Amin do Irã com 169 ataques vencedores

3 – Nishida do Japão com 156 ataques vencedores

4- Nikolov da Bulgária com 150 ataques vencedores

5 – Zhang da China com 140 ataques vencedores

Melhor brasileiro colocado

21 – Alan do Brasil com 98 ataques vencedores

BLOQUEIO

1 – Gotsev da Bulgária com 2.92 de média por jogo

2 – Flávio do Brasil com 2.25 de média por jogo

3 – Loser da Argentina com 2.17 de média por jogo

4 – Smith dos Estados Unidos com 2.00 de média por jogo

5 – Kozamernik da Eslovênia com 1.83 de média por jogo

SERVIÇO

1 – Nimir da Holanda com 30 pontos de serviço

2 – Ishikawa do Japão com 29 pontos de serviço

3 – Nishida do Japão com 27 pontos de serviço

4 – Russel dos Estados Unidos com 21 pontos de serviço

5 – Bieniek da Polônia com 16 pontos de serviço

Melhor brasileiro colocado

18 – Isac do Brasil com 10 pontos de serviço

LEVANTAMENTO

1 – Seganov da Bulgária com 25% de eficiência

2 – Bruninho do Brasil com 25% de eficiência

3 – Gianelli da Itália com 22% de eficiência

4 – Tuaniga dos Estados Unidos com 21% de eficiência

5 – Sanchez da Argentina com 21% de eficiência

DEFESA

1 – Danani da Argentina com 10% de eficiência

2 – Yamamoto do Japão com 9% de eficiência

3 – Zenger da Alemanha com 9% de eficiência

4 – Diez da França com 8% de eficiência

5 – Andriga da Holanda com 6% de eficiência

Melhor brasileiro colocado

7 – Thales do Brasil com 5% de eficiência

RECEPÇÃO

1 – Danani da Argentina

2 – Pope da Austrália

3 – Zenger da Alemanha

4 – Yamamoto do Japão

5 – Ishikawa do Japão

Melhor brasileiro colocado

11 – Thales do Brasil

O levantador Bruninho é um dos destaques do Brasil nas estatísticas da VNL 22, ao lado do central Flávio/Volleyball World/Divulgação FIVB

ITÁLIA É CAMPEÃ DA VNL 2022

A Itália venceu a Liga das Nações feminina de vôlei 2022. Foi o primeiro título italiano na história da competição. Anteriormente, a Itália nunca havia subido ao pódio da VNL. Neste ano, na grande final, em Ancara, na Turquia, as italianas bateram o Brasil, em sets diretos, com parciais de 25/23, 25/22, 25/22. Com a conquista, a Itália emendou uma sequência de 13 vitórias consecutivas na Liga das Nações. A última derrota italiana na VNL foi na primeira etapa dessa edição, no dia 4 de Junho, contra a China, por 3×1.

As jogadoras italianas com a medalha de ouro/Volleyball World/Divulgação FIVB

NÚMEROS DA DECISÃO

A oposta italiana Paola Egonu foi a maior pontuadora da final, com 21 pontos. Pelo Brasil, Kisy marcou 14 pontos. O bloqueio italiano foi superior ao brasileiro, com 7 pontos diretos no fundamento contra 4 do Brasil. A Itália errou mais do que o Brasil, mas compensou os números com maior poder ofensivo. Ao todo, as italianas fizeram 50 pontos no ataque contra 41 do Brasil. De acordo com os números da FIVB, o fundo de quadra italiano também foi mais eficiente que o do Brasil. O único fundamento que as brasileiras superaram a Itália, na grande final, foi o serviço.

🇮🇹 ITÁLIA Orro (0), Egonu (21), Bosetti (11), Pietrini (8), Danesi (9), Chirichella (9), De Gennaro (L). Entraram: Lubian (0), Malinov (1), Fersino (L). Técnico: Davide Mazzanti

🇧🇷 BRASIL Macris (2), Kisy (14), Gabi (11), Bergmann (3), Carol (8), Júlia Kudiess (1), Nyeme (L). Entraram: Roberta (0), Lorenne (1), Lorena (1), Pri Daroit (1), Ana Cristina (6), Rosamaria (0), Natinha (L). Técnico: José Roberto Guimarães

A seleção italiana comemorando o título após o jogo/Volleyball World/Divulgação FIVB

PÓS-JOGO

Após a conquista da VNL 22, a oposta Egonu da Itália comentou sobre a vitória em conversa com a imprensa. “Estou super feliz e orgulhosa porque é a primeira vez que vencemos a VNL. Agora podemos finalmente sair de férias! Como sempre digo, posso receber um prêmio como jogadora, mas o mais importante é que estou feliz por trabalharmos juntos como equipe. Estou orgulhosa de ter sido escolhida para vestir uma camisa de igualdade e representar algo tão importante! Espero que possamos continuar com isso…”

Paola Egonu recebe o prêmio de MVP, das mãos do presidente da FIVB, Ary Graça/Volleyball World/Divulgação FIVB

PÓDIO DA LIGA DAS NAÇÕES 2022

Como postado mais cedo no blog, completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção da Sérvia, depois de vencer a Turquia, na disputa do bronze, por 3×0.

A seleção da Sérvia com a medalha de bronze/Volleyball World/Divulgação FIVB

SELEÇÃO DA LIGA DAS NAÇÕES 2022

A oposta italiana Paola Egonu foi eleita MVP da Ligas das Nações 2022. A seleção da competição foi composta pela levantadora Orro da Itália, a oposta Paola Egonu da Itália, as ponteiras Bosetti da Itália e Gabi do Brasil, as centrais Carol do Brasil e Stevanovic da Sérvia, e a líbero De Gennaro da Itália.

A seleção da Liga das Nações 2022/Volleyball World/Divulgação FIVB

A CAMPANHA DO TÍTULO

Fase regular

3º lugar 10 vitórias e 2 derrotas

Quartas-de-final

14/7 Itália 3×1 China

Semifinais

16/7 Turquia 0x3 Itália

Final

17/7 Itália 3×0 Brasil

As jogadoras italianas com o troféu da VNL 22/Volleyball World/Divulgação FIVB

SÉRVIA FICA COM O BRONZE DA VNL 22

A Sérvia ficou com o bronze da VNL 22. Jogando em Ancara, na Turquia, a Sérvia bateu a seleção anfitriã, por 3×0, com parciais de 27/25, 25/17, 26/24. A Turquia sofreu com a baixa ofensividade de suas ponteiras. Ao contrário da Sérvia, que teve entre suas maiores pontuadoras, justamente, duas jogadoras da posição. Uma delas, Sara Lozo, foi a maior pontuadora do confronto pelo bronze, com 19 pontos. Pela Turquia, a oposta Karakurt marcou 14 pontos. Nos aspectos coletivos, como ressaltado acima, a superioridade do ataque da Sérvia fez a diferença na partida. Foram 52 pontos no fundamento da Sérvia contra apenas 37 pontos da Turquia. Com o resultado, é a primeira vez na história da VNL que a Sérvia conquista uma medalha.

Sara Lozo, número 22, foi um dos destaques da Sérvia nas finais da VNL, em Ancara, na Turquia/Volleyball World/Divulgação FIVB

PELAS SEMIFINAIS DA VNL, ITÁLIA DERROTA TURQUIA

A Itália é finalista da Liga das Nações feminina de vôlei, pela primeira vez na história do torneio. Jogando em Ancara, na Turquia, pelas semifinais da competição, a Itália derrotou a seleção anfitriã, em sets diretos, com parciais de 25/18, 28/26, 25/22. A oposta italiana Egonu, mais uma vez, foi a maior pontuadora do confronto, com 26 pontos, em apenas 3 sets. Pela Turquia, a oposta Karakurt anotou 14 pontos. O destaque coletivo da partida ficou com o bloqueio italiano, que marcou 10 pontos diretos no fundamento. Com o resultado, a Itália enfrenta o Brasil na decisão do título da VNL 22. Já a Turquia disputa o bronze contra a Sérvia.

🇹🇷 TURQUIA Osbay (0), Karakurt (14), Baladin (7), Sahin (5), Erdem (11), Gunes (8), Akoz (L). Entraram: Elif Sahin (1), Boz (1), Aydin (1). Técnico: Giovanni Guidetti

🇮🇹 ITÁLIA Orro (1), Egonu (26), Bosetti (11), Pietrini (8), Danesi (9), Chirichella (4), De Gennaro (L). Entraram: Lubian (0), Gennari (0), Malinov (0), Sylla (0). Técnico: Davide Mazzanti

A seleção italiana comemorando a passagem para a disputa do título da VNL 22/Volleyball World/Divulgação FIVB