O TÍTULO NACIONAL DO PINHEIROS

Há quase seis anos, em 2015, o Esporte Clube Pinheiros, tradicional clube da capital paulista, surpreendeu o mundo do vôlei com a conquista da Copa do Brasil feminina, disputada em Cuiabá, no Mato Grosso. O feito inédito foi o primeiro título em âmbito nacional do Pinheiros na história da modalidade no Brasil. Anteriormente, a equipe da zona oeste de São Paulo havia vencido o campeonato estadual por seis vezes na história. A última vez em 2010.

Para quem acompanha o vôlei feminino no Brasil, a conquista foi considerada tão inesperada pelo caminho trilhado do título. Pra começar, nas quartas-de-final, o Pinheiros superou o Praia Clube, em um confronto equilibrado, por 3×1. Um resultado, naquele momento, considerado normal. O desafio seria avançar na fase seguinte.

Nas semifinais da competição, o Pinheiros teve pela frente o poderoso Rexona Ades do técnico Bernardinho. Comandadas pelo técnico Wagão, capitaneadas pela atual levantadora da seleção brasileira Macris, ainda sem o reconhecimento, o Pinheiros superou o favorito Rexona de Natália, Gabi e Fofão, por 3×1, com parciais de 25/22, 25/19, 17/25, 25/21. Uma vitória surpreendente, dado a condição de azarão do Pinheiros no páreo.

Apesar do resultado, o título ainda não era favas contadas. Na grande final da Copa do Brasil 2015, o Pinheiros enfrentaria o Sesi/SP. Atual vice-campeão da competição, o time dirigido pelo técnico Talmo também tinha no currículo recente vitórias emblemáticas sobre os times do Rexona, na Copa do Brasil 2014, e do Osasco, nas semifinais da temporada anterior da Superliga Feminina, da Copa do Brasil 2015 e do Sul-Americano.

Em um jogo disputado, decidido apenas no tie-break, com mais de duas horas de duração, o Pinheiros finalmente conquistou um título nacional na modalidade em sua história. O placar final do confronto ficou em 3×2, com parciais de 25/20, 15/25, 21/25, 28/26, 15/7, a favor do Pinheiros.

A conquista serviu de catapulta para a carreira de várias jogadoras do Pinheiros. A libero Leia firmou-se na seleção brasileira e disputou os Jogos Olímpicos do Rio. A levantadora Macris foi convocada pela 1ª vez, tendo disputado o Grand Prix 2015. A oposta Renatinha voltou a jogar em alto nível, depois de anos fora do país, sendo desejo de contratação de vários clubes. A ponteira Elen e a ponta/oposta Rosamaria foram valorizadas no mercado.

Para se ter uma ideia do elenco qualificado do Pinheiros, em 2015, a oposta Lorenne, destaque do Brasil em 2019, era reserva da equipe. O time ainda contava com a experiente ponteira Cibelle, as centrais Fran e Vívian e a jovem ponteira Kasiely.

Outra curiosidade da Copa do Brasil 2015, foi a primeira transmissão da TV Brasil na história da modalidade. Exclusiva no sistema aberto, a TV pública exibiu todos os jogos das finais em Cuiabá, no ginásio São Gonçalo. Na TV fechada, o SPORTV cobriu a fase final da competição. No link abaixo, você confere a final completa da Copa do Brasil 2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s