SÉRVIA É A PRIMEIRA FINALISTA DO MUNDIAL 2022

A Sérvia é finalista do Mundial feminino de vôlei 2022. Jogando em Gliwice, na Polônia, a Sérvia bateu os Estados Unidos, pelas semifinais da competição, por 3×1, com parciais de 25/21, 25/20, 17/25, 25/23. O poderio ofensivo sérvio fez a diferença no jogo, graças ao desempenho da oposta Boskovic. Mais uma vez no torneio, ela foi a maior pontuadora de uma partida, dessa vez, com 33 pontos. Pelos Estados Unidos, a ponteira Robinson Cook marcou 18 pontos. Com o resultado, a Sérvia disputará a segunda final consecutiva de Mundial. Anteriormente, a Sérvia foi campeã da competição, em 2018. O adversário da Sérvia na final sairá do confronto entre Brasil e Itália, amanhã, 13 de Outubro. Aos Estados Unidos restou a disputa do bronze, com o perdedor da semifinal entre brasileiras e italianas.

A oposta Boskovic da Sérvia teve quase 50% de aproveitamento no ataque, contra os Estados Unidos/Divulgação FIVB

EM DUELO DE OPOSTAS, MELHOR PARA A SÉRVIA

Pelas quartas de final do Mundial feminino de vôlei 2022, a Sérvia bateu a Polônia, no domínio adversário. Jogando em Gliwice, a Sérvia derrotou as polonesas, no tie-break, com parciais de 21/25, 25/21, 25/19, 24/26, 16/14. Em duelo de força, a Sérvia levou a melhor sobre a Polônia, mesmo com sua oposta não sendo a maior pontuadora do confronto. A polonesa Stysiak marcou 40 pontos no jogo. Boskovic fez 36 pontos. Alem disso, a Polônia cometeu 34 pontos em erros contra 26 da Sérvia. Com o resultado, a Sérvia conquistou a décima vitória na competição, mantendo a invencibilidade no Mundial 2022. Na próxima fase do torneio, a Sérvia terá pela frente os Estados Unidos, valendo vaga na final. O confronto está marcado para esta quarta-feira, 12 de Outubro, na Polônia, às 15h30. O jogo será transmitido pelo SPORTV 2.

A oposta Boskovic da Sérvia, em ação de ataque/Divulgação FIVB

PELAS QUARTAS DO MUNDIAL, EUA SUPERA TURQUIA

Atuais campeões olímpicos, os Estados Unidos avançaram de fase no Mundial feminino de vôlei 2022. Jogando em Gliwice, na Polônia, pelas quartas de final da competição, os Estados Unidos eliminaram a Turquia, em sets diretos, com parciais de 25/22, 25/15, 25/20. O serviço foi um dos fatores para a vitória estadunidense, com 4 pontos diretos no fundamento. A ponteira Frantti dos Estados Unidos foi a maior pontuadora do confronto, com 18 pontos. Pela Turquia, a oposta Karakurt marcou 16 pontos. Com o resultado, os Estados Unidos enfrentam a Sérvia nas semifinais do Mundial 2022. A partida acontece nesta quarta-feira, 12 de Outubro, às 15h30, em Gliwice, na Polônia, com transmissão do SPORTV 2.

A seleção norte-americana após a classificação para semifinais/Divulgação FIVB

NO TIE-BREAK, BRASIL ELIMINA O JAPÃO

Em partida válida pelas quartas de final, o Brasil suou para eliminar o Japão no Mundial feminino de vôlei 2022. Jogando em Apeldoorn, na Holanda, as brasileiras precisaram do tie-break, para virar o jogo contra as japonesas, em 3×2, com parciais de 18/25, 18/25, 25/22, 27/25, 15/13. A ponteira Gabi do Brasil foi a maior pontuadora do confronto, com 25 pontos. Pelo Japão, Hayashi marcou 21 pontos. Com o resultado, o Brasil devolveu a derrota na 1ª fase do Mundial para o Japão, além de conquistar classificação para semifinais do torneio. Na próxima fase da competição, as brasileiras enfrentam a Itália, nesta quinta-feira, 13 de Outubro, às 15h, valendo vaga na final. A partida terá transmissão do SPORTV 2.

A ponteira Gabi teve 35% de aproveitamento no ataque contra o Japão/Divulgação FIVB

O JOGO

O Brasil começou o jogo errando muito. O Japão sacava melhor e aproveitava os contra-ataques, com muito volume de jogo no fundo de quadra. José Roberto Guimarães tirou a ponteira Pri Daroit da partida e inverteu o 5×1. Deu certo! O Brasil esboçou uma reação, ao encostar no placar. Mas não teve jeito, o Japão retomou a sua melhor performance na parcial, fechando o 1º set, em 25/18.

A segunda parcial iniciou com o Japão no mesmo ritmo. Pela 2ª vez na partida, Rosamaria entrou no lugar de Pri Daroit. O Brasil melhorou, mas o Japão continuava na frente. O bloqueio brasileiro não achava o ataque do Japão. A levantadora japonesa jogava com o passe na mão. Além disso, as brasileiras erravam demasiadamente. José Roberto Guimarães inverteu o 5×1 novamente no jogo. Com vantagem confortável no placar, o Japão fez 2×0, com 25/18.

O Brasil começou a terceira parcial com Lorenne e Roberta no lugar de Tainara e Macris, respectivamente. Pela primeira vez na partida, o Brasil assumiu a liderança no placar. As japonesas cediam pontos em erros. O serviço brasileiro finalmente entrou na partida. A ponteira japonesa Koga entrou no lugar de Inoue. O Japão apostava no saque curto. O Brasil ganhava os rallys. Em um ataque da central Carol Gattaz, o Brasil fechou a parcial, em 25/22.

A quarta parcial iniciou com erros das duas seleções. As japonesas abriram uma vantagem de três pontos no placar. Na sequência, o Brasil conseguiu empatar. O Japão abriu nova frente de três pontos. O Brasil empatou a partida novamente. A parcial era disputada ponto a ponto. Mais uma vez no jogo, o Japão apostava no saque curto. Gabi resolvia os problemas brasileiros no ataque, com 10 pontos no fundamento somente na quarta parcial. A diferença da parcial estava no números de erros do serviço japonês, 4 no total. 27/25 para o Brasil.

No tie-break, o Brasil sacava melhor do que o Japão. Mas, as atacantes japonesas definiam os pontos com mais eficiência que as brasileiras. O Japão acreditava em todas as bolas. Mais uma vez na partida, a parcial era disputada ponto a ponto. Finalmente, o volume de jogo do Brasil apareceu. O saque curto japonês fazia efeito, atrasando o ataque brasileiro. O Brasil abriu três pontos de vantagem. O Japão salvou dois match points do Brasil, mas em um erro de contra-ataque japonês, as brasileiras fecharam o jogo, em 15/13.

🇧🇷 BRASIL Macris (0), Tainara (5), Gabi (25), Pri Daroit (1), Carol (13), Carol Gattaz (14), Natinha (L). Entraram: Rosamaria (13), Roberta (0), Kisy (1), Nyeme (L), Lorenne (12). Técnico: José Roberto Guimarães

🇯🇵 JAPÃO Seki (1), Hayashi (21), Ishikawa (18), Inoue (16), Yamada (19), Shimamura (6), Fukudome (L). Entraram: Miyabe (0), Yoshino (0), Koga (2), Airi (0). Técnico: Manabe

A seleção brasileira encontrou dificuldades para bater o Japão/Divulgação FIVB

PÓS – JOGO

Ao final do confronto, a ponteira Gabi falou sobre a partida, em entrevista para a FIVB. “Ainda não consigo acreditar no que minha equipe fez hoje. Estou tão orgulhosa das meninas! Realmente não saímos da partida por um segundo, embora tenhamos começado um pouco nervosas. Parabéns ao Japão! Eles estão fazendo um trabalho incrível! O que eles fizeram neste torneio foi inacreditável. Mas hoje fomos tão resistentes. Estávamos perdendo por 2 a 0 e depois voltamos para vencer por 3 a 2, acreditando o tempo todo e as meninas vindo do banco e ajudando o tempo todo. E a todos os brasileiros que vêm aqui e nos dão toda essa energia, muito obrigado! Espero ver todos na semifinal aqui novamente, porque realmente faz a diferença.”

Gabi foi a bola de desafogo do Brasil contra o Japão/Divulgação FIVB

PELA 5ª VEZ, ITÁLIA É SEMIFINALISTA DO MUNDIAL

A Itália é semifinalista do Mundial feminino de vôlei 2022. Jogando na Holanda, em Apeldoorn, as italianas eliminaram a China, com uma vitória, por 3×1, com parciais de 25/16, 25/22, 13/25, 25/17. Saque e bloqueio foram decisivos para o triunfo italiano. Mais uma vez no torneio, a oposta Egonu da Itália foi a maior pontuadora do confronto, com 29 pontos. Pela China, a ponteira Yingying Li marcou 14 pontos. Com o resultado, a Itália é semifinalista do Mundial pela 5ª vez na história. Anteriormente, as italianas disputaram a semifinal do Mundial em 2002, 2006, 2014 e 2018. O adversário da Itália nas semifinais sairá do duelo de logo mais, entre Brasil e Japão, às 15h, com transmissão do SPORTV 2.

A central italiana Danesi foi a segunda maior pontuadora de sua seleção, com 12 pontos, sendo 8 de ataque e 4 de bloqueio/Divulgação FIVB

AS ESTATÍSTICAS DO MUNDIAL FEMININO 2022

Com base nos dados da FIVB, o blog apresenta as estatísticas do Mundial feminino de vôlei 2022. Neste estágio da competição, após o encerramento da 2ª fase, às vésperas das quartas de final, a ponteira Herbots da já eliminada Bélgica, lidera na pontuação, com 222 pontos. Na vice-liderança aparece a oposta polonesa Stysiak, com 200 pontos. Em 3º lugar na pontuação, a italiana Paola Egonu, com 191 pontos. Em 4º lugar, a canadense Van Ryk, com 176 pontos. Fechando o top 5 da pontuação, a dominicana Gonzales, com 166 pontos. A melhor brasileira colocada é a ponteira Gabi, em sétimo lugar, com 160 pontos. A seguir o top 5 de cada fundamento do Mundial 2022.

ATAQUE

1 – 🇧🇪 Herbots com 203 ataques vencedores

2 – 🇮🇹 Egonu com 169 ataques vencedores

3 – 🇵🇱 Stysiak com 163 ataques vencedores

4 – 🇨🇦 Van Ryk com 161 ataques vencedores

5 – 🇧🇷 Gabi com 149 ataques vencedores

A ponteira Gabi é a principal pontuadora do Brasil no Mundial 2022/Divulgação FIVB

BLOQUEIO

1 – 🇧🇷 Carol com 4.89 de média por jogo

2 – 🇵🇷 Ortiz com 4.33 de média por jogo

3 – 🇮🇹 Danesi com 3.56 de média por jogo

4 – 🇵🇱 Korneluk com 3.44 de média por jogo

5 – 🇵🇱 Stysiak com 3.44 de média por jogo

A central Carol do Brasil lidera os números do Mundial no bloqueio/Divulgação FIVB

SERVIÇO

1 – 🇺🇸 Drews com 15 pontos no serviço

2 – 🇮🇹 Bosetti com 14 pontos no serviço

3 – 🇩🇴 Gonzales com 13 pontos no serviço

4 – 🇯🇵 Ishikawa com 12 pontos no serviço

5 – 🇵🇱 Rozanski com 11 pontos no serviço

LEVANTAMENTO

1 – 🇵🇱 Wolosz com 14.33 de média por jogo

2 – 🇨🇳 Diao com 14.33 de média por jogo

3 – 🇦🇷 Mayer com 14.00 de média por jogo

4 – 🇮🇹 Orro com 11.67 de média por jogo

5 – 🇯🇵 Seki com 9.33 de média por jogo

DEFESA

1 – 🇮🇹 De Gennaro com 13.67 de média por jogo

2 – 🇳🇱 Schoot com 10.00 de média por jogo

3 – 🇩🇴 Castillo com 9.67 de média por jogo

4 – 🇧🇪 Rampelberg com 9.22 de média por jogo

5 – 🇵🇷 Venegas com 9.11 de média por jogo

RECEPÇÃO

1 – 🇦🇷 Nizetich com 9.33 de média por jogo

2 – 🇧🇷 Pri Daroit com 8.89 de média por jogo

3 – 🇨🇳 Yingying Li com 8.78 de média por jogo

4 – 🇧🇪 Van Gestel com 8.11 de média por jogo

5 – 🇳🇱 Anne Buijs com 7.56 de média por jogo

A ponteira brasileira Pri Daroit é a segunda colocada do Mundial 2022 na recepção, de acordo com as estatísticas da FIVB/Divulgação FIVB

Fonte: FIVB

OS DESTAQUES DA 2ª FASE DO MUNDIAL 2022

Neste Domingo, 9 de Outubro, foi encerrada a 2ª fase do Mundial feminino de vôlei 2022. Pelo grupo E, conquistaram vaga nas quartas de final, pela ordem, as seguintes seleções: Itália, Brasil, Japão e China. Pelo grupo F, estão classificados, pela ordem, as seguintes seleções: Sérvia, Estados Unidos, Turquia e Polônia. Os confrontos da fase eliminatória do Mundial 2022 acontecem dentro dos próprios grupos, em sedes distintas. Na Holanda, irão se enfrentar: China x Itália, Brasil x Japão. Na Polônia, duelam por duas vagas nas semifinais: Sérvia x Polônia, Estados Unidos x Turquia. Confira abaixo, os destaques da 2ª fase do Mundial feminino de vôlei 2022.

MAIS BLOQUEIO, MENOS ATAQUE

Não é novidade para ninguém, o desempenho da central brasileira Carol no bloqueio. Mas neste Mundial, ela se superou! De acordo com as estatísticas da FIVB, Carol marcou mais pontos de bloqueio na competição do que ataque, até o momento. Com 8 jogos disputados, Carol alcançou a incrível marca de 44 pontos de bloqueio contra 41 pontos de ataque. Para se ter uma ideia da eficiência dela no fundamento, Carol marcou quase 10 pontos de bloqueio em uma mesma partida. Algo que não é muito comum, mesmo sendo uma central.

Somente no jogo com a Holanda, a central Carol marcou 9 pontos de bloqueio/Divulgação FIVB

INVENCIBILIDADE

Terminada a 2ª fase do Mundial feminino de vôlei 2022, apenas uma seleção ainda está invicta na competição. Com 9 vitórias em 9 jogos, a Sérvia, atual campeã mundial, ainda não perdeu na edição de 2022 do torneio. A performance da Sérvia no Mundial impressiona porque, até agora, elas cederam apenas 2 parciais na competição. Tal resultado, aconteceu na vitória contra com Bulgária, na 1ª fase, por 3×2.

Falando em invencibilidade, o Brasil conseguiu derrotar a favorita Itália, na primeira rodada da 2ª fase, na Holanda. Foi o primeiro revés italiano na competição. Mesmo com a derrota, a Itália passou de fase, na frente do Brasil. As duas seleções venceram 8 dos seus 9 jogos no Mundial, mas a Itália somou mais pontos do que o Brasil (25×23).

ZEBRA

Pelo grupo F do Mundial, a zebra andou atacando. Jogando com apoio da torcida, em casa, a Polônia bateu os Estados Unidos, na 2ª rodada da 2ª fase do Mundial feminino 2022. O placar do jogo impressiona! Comandadas por Lavarini, as polonesas bateram os Estados Unidos, por 3×0. O resultado foi crucial na classificação da Polônia para às quartas de final da competição. No link abaixo, você acessa os melhores momentos desse jogo entre Polônia e Estados Unidos.

RANKING INTERNACIONAL

A vitória da Polônia sobre os Estados Unidos, teve consequências. Como todos sabem, o ranking da FIVB mudou. Todo resultado agora conta! Com o revés para a Polônia, os Estados Unidos perderam a liderança do ranking da FIVB. Caíram para o 4º lugar. O Brasil chegou a ficar na liderança do ranking, mas encerrada a 2ª fase do Mundial, a Itália está em 1º lugar, seguida do Brasil e da Sérvia.

O RETORNO DE SARINA KOGA

Principal atacante do Japão, a ponteira Sarina Koga sofreu uma contusão no jogo com a China, na 1ª fase do Mundial. Mas ao que parece, ela se recuperou rapidamente do problema. Na 2ª fase da competição, mesmo sem entrar jogando como titular, Koga ajudou o Japão na classificação para o mata-mata do Mundial. Resta saber agora, se o técnico japonês Manabe utilizará a jogadora contra o Brasil. No confronto da 1ª fase, ela foi poupada, assim como a central Carol do Brasil.

A ponteira Koga do Japão, em ação de ataque, contra a China, na 1ª fase do Mundial 2022/Divulgação FIVB

CHINA FICA COM A ÚLTIMA VAGA DO GRUPO E

A China conquistou a última vaga nas quartas de final do Mundial feminino de vôlei 2022. A classificação foi garantida após vitória sobre a Bélgica, hoje cedo, por 3×0, em jogo válido pelo grupo E da competição. Com a vitória do Japão contra a Holanda, por 3×0, também pelo grupo E, as asiáticas terão pela frente na fase eliminatória do Mundial, Itália e Brasil. As japonesas enfrentam o Brasil, nesta terça-feira, 11 de Outubro, às 15h, com transmissão do SPORTV 2. Já as chinesas pegam a Itália, mais cedo, às 12h. Os dois jogos acontecem na sede da Holanda, em Apeldoorn.

A torcida chinesa marcou presença em Roterdã, na Holanda/Divulgação FIVB