A 1ª RODADA DOS PLAYOFFS DA SUPERLIGA FEMININA

Na última sexta-feira, 25 de Março, teve início a fase eliminatória da Superliga Feminina 2021/2022. Os oito primeiros colocados da 1ª fase enfrentam-se no sistema de mata-mata, em melhor de 3 jogos, com: 1ºx8º, 2ºx7º, 3ºx6º, 4ºx5º. Pela primeira vez, após dois anos de pandemia, o público está de volta aos ginásios nos playoffs, seguindo regras sanitárias. Confira abaixo, alguns detalhes da 1ª rodada dos playoffs da Superliga Feminina 2021/2022.

PLAYOFFS

Abrindo os playoffs da competição, na última sexta-feira, Pinheiros e Praia jogaram na capital paulista, pelo primeiro jogo das quartas-de-final. O time da casa não conseguiu sustentar a vantagem no placar nos momentos decisivos. Com triplo 25/21, o Praia saiu de quadra com uma vitória por 3×0. Com o resultado, está a uma vitória da próxima fase. A oposta Martínez do Praia foi a maior pontuadora do confronto, com 19 pontos. A central Carol também do Praia ficou com o troféu Viva Vôlei de melhor jogadora em quadra.

A ponteira Kasiely do Praia, em ação de ataque/Divulgação Pinheiros

Ainda na sexta-feira, 25 de Março, foi a vez de Osasco e Sesc/Flamengo entrarem em quadra, pelos playoffs da Superliga Feminina. Jogando em seus domínios, no ginásio José Liberatti, o Osasco conseguiu uma virada espetacular na primeira parcial. O Flamengo acabou derrotado por 3×0, com parciais de 29/27, 25/18, 25/21. A central Fabiana do Osasco levou o troféu Viva Vôlei de melhor jogadora do confronto. A oposta Tifanny do Osasco foi a maior pontuadora do jogo, com 14 pontos.

A oposta Tifanny do Osasco/Carol Oliveira/Osasco

No sábado, na Arena Minas, em Belo Horizonte, Minas e Barueri realizaram a melhor partida das quartas-de-final até o momento. Em jogo emocionante, o Minas saiu vencedor do primeiro jogo dos playoffs, pelo placar de 3×1, com parciais de 25/15, 27/29, 25/22, 25/23. A central Thaísa do Minas foi o destaque individual na pontuação, com 22 pontos. A levantadora Macris do Minas foi eleita a melhor em quadra, recebendo o troféu Viva Vôlei.

A levantadora Macris com o troféu Viva Vôlei/Orlando Bento/MTC

Encerrando a 1ª rodada dos playoffs da Superliga Feminina, ainda no sábado, 26 de Março, Sesi/Bauru e Fluminense jogaram no ginásio Panela de Pressão, em Bauru. O time da casa dominou o jogo. O Fluminense cometeu muitos erros, principalmente no serviço. O placar final do confronto, ficou em 3×0, a favor do Bauru, com parciais de 25/22, 25/19, 25/20. A oposta norte-americana Reed foi a maior pontuadora do jogo, com 18 pontos. Ela ainda foi eleita a melhor jogadora em quadra, recebendo o troféu Viva Vôlei.

A ponteira Thaisinha, um dos reforços do Bauru/Marcelo Ferrazoli/Sesi/Arquivo

OS PLAYOFFS DA SUPERLIGA FEMININA

Começa hoje a fase quartas-de-final da Superliga Feminina 2021/2022. Os confrontos foram definidos na semana passada, após o fim da última rodada da fase regular. Líder da 1ª fase, o Praia Clube terá pela frente o Pinheiros, 8º colocado. O Minas, 2º colocado, enfrenta o Barueri, 7º colocado. Sesi/Bauru, 3º colocado, joga contra o Fluminense, 6º colocado. Finalizando os confrontos da próxima fase, o Osasco, 4º colocado, encara o clássico contra o Sesc/Flamengo, 5º colocado. Confira abaixo alguns detalhes dos dueles de quartas-de-final da Superliga Feminina 2021/2022.

Praia x Pinheiros

Fora do mata-mata, durante as últimas três temporadas, o Pinheiros finalmente voltou a figurar nos playoffs. O desafio agora é fazer frente ao líder da fase regular. A tarefa é complicada. O Praia já conquistou três títulos na atual temporada, além de ser o amplo favorito neste confronto de quartas-de-final. Uma curiosidade do duelo é que ele também aconteceu na Copa do Brasil 2022, cercado de polêmicas. O Pinheiros pediu o adiamento do jogo, alegando um surto de COVID-19. O Praia não aceitou. No fim, o Praia acabou enfrentando um rival fragilizado. Parece que o momento agora é propício para um acerto de contas entre as duas equipes.

PLAYOFF QUARTAS-DE-FINAL

25/03 18:30 Pinheiros x Praia

28/03 19:00 Praia x Pinheiros

Se necessário 3º JOGO

01/04 Praia x Pinheiros

A central Carol do Praia é um destaques da Superliga no bloqueio/Divulgação CBV/Inovafoto/Wander Roberto

Minas x Barueri

Realizando até o momento, uma temporada irregular, o Minas tem a chance de provar nos playoffs que finalmente está pronto. Pela frente, um adversário perigoso, o Barueri de José Roberto Guimarães. Em um confronto dos mais peculiares desta fase, será possível acompanhar o duelo entre o jovem time de Barueri diante do tarimbado Minas. No retrospecto da 1ª fase, mesmo com um Minas titubeante, o Barueri não foi páreo. Foram duas vitórias do Minas pelo placar de 3×0.

PLAYOFF QUARTAS-DE-FINAL

26/03 19:00 Minas x Barueri

29/03 21:30 Barueri x Minas

Se necessário 3º JOGO

02/04 19:00 Minas x Barueri

O Minas venceu o Barueri na Arena, na 1ª fase, por 3×0/Orlando Bento/MTC

Sesi/Bauru x Fluminense

O Bauru pode ter escolhido o seu adversário no mata-mata. Na última rodada da 1ª fase, uma combinação de resultados, deu ao Fluminense, o 6º lugar na tabela. Tudo isso, justamente, graças a uma vitória apertada de Bauru sobre o Fluminense, por 3×2. Agora no confronto de quartas-de-final, o Bauru precisa confirmar o seu favoritismo. Atual campeão da Copa do Brasil, o time de Dani Lins poderá ter problemas com o Fluminense. A escolha ou não do oponente por Bauru foi um risco. No histórico de confrontos pela Superliga, o Fluminense já venceu o Bauru, por duas vezes, no Rio de Janeiro, por 3×2.

PLAYOFF QUARTAS-DE-FINAL

26/03 21:30 Sesi x Fluminense

29/03 21:30 Fluminense x Sesi

Se necessário 3º JOGO

02/04 21:30 Sesi x Fluminense

O Bauru é o atual campeão da Copa do Brasil/Inovafoto/CBV

Osasco x Sesc/Flamengo

No confronto teoricamente mais equilibrado das quartas-de-final, Osasco e Sesc/Flamengo fazem o tradicional clássico da Superliga Feminina. O Osasco possui a vantagem do mando de quadra, mas o momento é favorável ao Sesc/Flamengo. O time de Bernardinho vem de uma sequência de 8 vitórias consecutivas, uma delas inclusive sobre o Praia Clube, líder da fase regular. No histórico da Superliga Feminina, no mata-mata, o Osasco nunca eliminou o rival. Apesar de já ter batido o time de Bernardinho, nas finais, por três vezes.

PLAYOFF QUARTAS-DE-FINAL

25/03 21:00 Osasco x Sesc/Flamengo

28/03 21:30 Sesc/Flamengo x Osasco

Se necessário 3º JOGO

01/04 21:00 Osasco x Sesc/Flamengo

O Osasco possui a vantagem do mando de quadra no confronto com o Sesc/Flamengo/Divulgação Osasco

* Todos os jogos serão transmitidos pelo SPORTV

A ÚLTIMA RODADA DA SUPERLIGA FEMININA

Chega ao fim na próxima sexta-feira, 18 de Março, a fase regular da Superliga Feminina 2021/2022. Seis jogos serão realizados, e algumas definições da 1ª fase ainda estão pendentes. O líder Praia viaja até Barueri para enfrentar o time de José Roberto Guimarães. O Minas joga contra o Brasília na capital federal. O Sesi/Bauru recebe o Fluminense. O Osasco enfrenta o Maringá dentro de casa. O Flamengo duela com o Pinheiros na capital paulista. E o Curitiba joga com o Valinhos no confronto dos times já rebaixados.

VANTAGEM NOS PLAYOFFS

Entre as pendências da 1ª fase, está a definição da vantagem do mando de quadra no duelo entre Osasco e Flamengo. O time paulista precisa vencer o seu último jogo para confirmar o 4º lugar. Já o Flamengo, além de bater o Pinheiros, precisa torcer por um revés do Osasco contra o Maringá, para encerrar a 1ª fase da Superliga Feminina 2021/2022 no G4.

6º LUGAR

Também ainda está indefinido quem termina a fase regular da competição em 6º lugar. Barueri e Fluminense disputam a posição. Os dois times terão compromissos complicados pela frente. Apesar disso, no 1º turno, contra os mesmos adversários da última rodada, saíram vitoriosos. O Fluminense precisar derrotar o Bauru, no domínio adversário, além de contar com um revés do Barueri para o Praia. Já o Barueri precisa vencer o seu jogo, por 3×0 ou 3×1, para ficar em 6º lugar. Em caso de derrota, o Barueri também terá de torcer por um revés do Fluminense, pelo mesmo placar do seu jogo contra o Praia.

FIEL DA BALANÇA

Praia e Bauru serão o fiel da balança na última rodada, na disputa do 6º lugar. O time de Dani Lins poderá se dar ao luxo de escolher o seu adversário, desde que o Praia confirme o seu favoritismo contra o Barueri. O Bauru pode perder do Fluminense na última rodada, para enfrentá-lo nas quartas-de-final, fugindo do Barueri. Já o time de José Roberto Guimarães, mesmo tendo pela frente o líder da fase regular, teoricamente um confronto difícil, deve encontrar um adversário mais preocupado com o mata-mata.

A levantadora Dani Lins é uma das líderes do Sesi/Bauru/Divulgação/Sesi/Bauru

AS ESTATÍSTICAS DA SUPERLIGA FEMININA

Depois dos dados da Superliga Masculina, com o returno da versão feminina da competição em andamento, o blog apresenta novamente um panorama do desempenho individual das atletas. Neste momento da Superliga Feminina, a oposta norte-americana Reed lidera na pontuação, com 337 pontos. Na vice-liderança, aparece a oposta Arianne do Brasília, com 331 pontos. Fechando o top 3 na pontuação, a oposta Tifanny do Osasco, com 289 pontos. A seguir, o top 5 de cada fundamento.

MÉDIA DE PONTOS POR SET

1- Tifanny do Osasco, com 4,9 de média por set

2- Arianne do Brasília, com 4,8 de média por set

3- Reed do Sesi/Bauru, com 4,75 de média por set

4- Lorrayna do Barueri com 4,47 de média por set

5- Bruna do Fluminense com 4,25 de média por set

ATAQUE

1- Thaísa do Minas, com 56% de eficiência

2- Carol Gattaz do Minas, com 55% de eficiência

3- Jineiry do Praia, com 53% de eficiência

4- Adams do Osasco, com 53% de eficiência

5- Carol do Praia, com 52% de eficiência

BLOQUEIO

1- Carol do Praia, com 81 pontos de bloqueio

2- Lays do Fluminense, com 74 pontos de bloqueio

3- Mayany do Sesi/Bauru, com 66 pontos de bloqueio

4- Lara do Fluminense, com 61 pontos de bloqueio

5- Diane do Barueri, com 55 pontos de bloqueio

RECEPÇÃO

1- Camila Brait do Osasco, com 78% de eficiência

2- Natinha do Flamengo, com 74% de eficiência

3- Maira do Flamengo, com 71% de eficiência

4- Drussyla do Sesi/Bauru, com 69% de eficiência

5- Suelle do Sesi/Bauru, com 68% de eficiência

SERVIÇO

1- Carla do Osasco, com 24 pontos de saque

2- Carol do Praia, com 23 pontos de saque

3- Carol Leite do Pinheiros, com 22 pontos de saque

4- Reed do Sesi/Bauru, com 20 pontos de saque

5- Arianne do Brasília, com 19 pontos de saque

A vice-campeã olímpica Carol do Praia é um dos destaques individuais nas estatísticas de serviço e bloqueio/Wander Roberto/Inovafoto/CBV

TIME DOS SONHOS

O time dos sonhos da Superliga Feminina 2021/2022, até o momento, segundo a CBV, é formado pela levantadora Giovanna do Flamengo, a oposta Martínez do Praia, as ponteiras Anna Buijs do Praia e Pena do Flamengo, as centrais do Praia Jineiry Martínez e Carol, e a líbero Natinha do Flamengo.

Fonte: CBV

O JOGO DA RODADA – Praia Clube vence o Minas pela 5ª vez na temporada

O Praia Clube venceu o Minas mais uma vez, agora pelo returno da Superliga Feminina 2021/2022. Foi a quinta vitória do Praia sobre o Minas na temporada. O Minas ainda não conseguiu ganhar do rival. Anteriormente, o Praia derrotou o Minas pelo Campeonato Mineiro, Supercopa, Sul-Americano e no 1º turno da Superliga Feminina 2021/2022. Além disso, com o resultado, o Praia consolidou a liderança da fase regular da competição, com apenas uma derrota, em 16 jogos.

CLÁSSICO MINEIRO

No jogo de hoje, disputado em Uberlândia, o Praia superou o Minas no tie-break. As duas equipes desfalcadas pela COVID-19, realizaram o confronto mais equilibrado entre elas na temporada, tamanha irregularidade. O placar final do confronto, ficou em 3×2, a favor do Praia, com parciais de 25/20, 17/25, 15/25, 25/21, 15/10.

NÚMEROS

A oposta Kisy do Minas foi a maior pontuadora do jogo, com 22 pontos. Pelo Praia, a central dominicana Martínez marcou 16 pontos. Além disso, o serviço do Praia foi o diferencial na partida, com 6 pontos diretos no fundamento. Outro dado importante, foi o aproveitamento do Praia na recepção. Ao final do jogo, Martínez foi premiada com o troféu Viva Vôlei de melhor jogadora do confronto.

PRÓXIMA RODADA

Na próxima rodada da competição, o Praia viaja até Maringá, para enfrentar o time da casa. A partida está marcada para sexta-feira, 11 de Fevereiro, às 19h, com transmissão do Canal Vôlei Brasil. Já o Minas, recebe o Curitiba Vôlei, na Arena Minas, também na sexta-feira, 11 de Fevereiro, às 17h, com transmissão do Canal Vôlei Brasil.

Praia Clube e Minas fizeram a grande final das últimas edições da Superliga Feminina/Divulgação CBV/Wander Roberto/Inovafoto

SESI/BAURU É CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL 2022

O campeão da Copa do Brasil 2022/Divulgação CBV/Inovafoto/Sávio Pereira

O Sesi/Bauru conquistou o inédito título da Copa do Brasil feminina de vôlei. Anteriormente, sobre a nomenclatura de Sesi/SP, o time de Dani Lins havia sido vice-campeão da competição em 2014 e 2015. Neste ano, jogando em Blumenau, contra o Itambé/Minas, na decisão do título, o Sesi/Bauru fez uma partida impecável. Com muito volume de jogo, força no bloqueio e poucos erros, bateu o Minas, por 3×0, com parciais de 25/18, 27/25, 25/20. A oposta norte-americana Reed do Bauru foi a maior pontuadora da final com 18 pontos.

Após a conquista, a levantadora Dani Lins do Bauru comentou sobre o jogo, em conversa com a CBV. “Sabemos o quanto lutamos e nos dedicamos para conseguir títulos como esse. Fizemos o nosso melhor e o resultado apareceu em uma competição importante. Hoje vamos comemorar, mas ainda temos muita temporada pela frente. Queremos melhorar também na Superliga. Jogamos como uma equipe e mostramos que somos um grupo. Temos que agradecer todos que sempre apoiaram nosso projeto”.

SESI/BAURU Dani Lins, Reed, Mayany, Mayhara, Drussylla, Suelle e Nyeme (L). Entraram: Letícia, Adenízia e Thaisinha. Técnico: Rubinho.

ITAMBÉ/MINAS Macris, Cuttino, Gattaz, Julia Kudiess, Pri Daroit, Pri Souza e Léia (L). Entraram: Pri Heldes, Kisy e Júlia Moreira. Técnico: Nicola Negro

A CAMPANHA DO TÍTULO

Quartas-de-final

17/01 Sesi/Bauru 3×1 Sesc/Flamengo

Semifinais

30/01 Praia 0x3 Sesi/Bauru

Final

31/01 Itambé/Minas 0x3 Sesi/Bauru

MINAS CONQUISTA CLASSIFICAÇÃO PARA FINAL DA COPA DO BRASIL 2022

O Itambé/Minas é finalista da Copa do Brasil feminina de vôlei pela terceira vez. Atual campeão da competição, o Minas conquistou classificação para a final da edição de 2022, após eliminar o Osasco. Em partida válida pelas semifinais, disputada em Blumenau, o Minas bateu o Osasco, por 3×0, com parciais de 25/23, 25/21, 25/15. A oposta norte-americana Cuttino do Minas e a ponteira Carla do Osasco foram as maiores pontuadores do confronto, com 13 pontos cada. Com o resultado, o Minas enfrenta o Sesi/Bauru na decisão do título. A partida acontece nesta segunda-feira, 31 de Janeiro, às 19h, com transmissão do SPORTV 2.

O Minas busca o terceiro título da Copa do Brasil/Divulgação CBV/Inovafoto/Sávio Pereira

SESI/BAURU É FINALISTA DA COPA DO BRASIL 2022

O Sesi/Bauru é finalista da Copa do Brasil feminina de vôlei pela terceira vez. Anteriormente, o Sesi/Bauru foi vice-campeão do torneio em 2014 e 2015. Neste ano, jogando contra o Praia, pelas semifinais da competição, em Blumenau, o time de Dani Lins surpreendeu o líder da Superliga Feminina 2021/2022. Com boa distribuição da campeã olímpica, o Sesi/Bauru bateu o Praia, por 3×0, com parciais de 25/19, 26/24, 25/18. A oposta norte-americana Reed do Sesi/Bauru foi a maior pontuadora do confronto, com 16 pontos. Com o resultado, o Sesi/Bauru aguarda o vencedor do duelo entre Minas e Osasco para conhecer o seu adversário na decisão do título da competição.

O Sesi/Bauru está em busca do título inédito da Copa do Brasil/Divulgação CBV/Inovafoto/Sávio Pereira

AS QUARTAS-DE-FINAL DA COPA DO BRASIL FEMININA 2022

Foram definidos os confrontos da fase semifinal da Copa do Brasil feminina de vôlei 2022. O Dentil/Praia Clube, líder da Superliga Feminina 2021/2022, passou pelo Pinheiros, e agora enfrenta o Sesi/Bauru, que eliminou o Sesc/Flamengo. Já o Itambé/Minas, após superar o Barueri, duela com o Osasco, que eliminou o Fluminense, por uma vaga nas finais da competição.

As duas partidas das semifinais estão previstas para ocorrer no fim do mês de Janeiro, na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, com transmissão do SPORTV 2. Confira abaixo os detalhes das quartas-de-final da Copa do Brasil feminina 2022.

PRAIA X PINHEIROS

Jogando em casa, o Praia fez valer o mando de quadra, imprimindo um ritmo forte. Com grande atuação da oposta dominicana Martínez, o Praia bateu o Pinheiros, por 3×0, com parciais de 25/20, 25/22, 25/13. Martínez foi a maior pontuadora do confronto, com 16 pontos. Pelo Pinheiros, a jovem oposta Camila Mesquita marcou 10 pontos.

Após a conquista da classificação, a central Carol do Praia comentou sobre a vitória, em entrevista para a imprensa. “Feliz por essa vitória, claro que o Praia vai em busca do título, mas pensando jogo a jogo, partida a partida. A gente sabe que o campeonato é longo, é virar a chave. A gente precisa evoluir a cada dia, a cada treino. O Paulinho vem pedindo muito isso, a concentração em toda partida, imprimir um ritmo maior”.

BAURU X FLAMENGO

No confronto teoricamente mais equilibrado das quartas-de-final da Copa do Brasil feminina 2022, o Bauru superou o Flamengo, pela segunda vez na temporada. Com grande atuação da levantadora Dani Lins, venceu o time de Bernardinho, por 3×1, com parciais de 25/11, 23/25, 25/19, 26/24. A ponteira Thaisinha do Bauru saiu de quadra como maior pontuadora do confronto, com 22 pontos.

Ao final do jogo, a levantadora Dani Lins do Bauru comentou sobre a conquista da classificação, em entrevista ao SPORTV. “No primeiro set, a gente conseguiu eliminar algumas jogadoras delas, mas sabia que essa não era a realidade do jogo. O Rio é um time que tem um volume muito bom, jogadoras habilidosas. Hoje a Nia não estava rodando muita bola, mas a gente conseguiu equilibrar. Sabíamos que o jogo seria quente assim. Jogo contra o Rio e contra o Bernardo sempre é assim”.

A ponteira Suellen do Sesi foi um dos destaques do jogo/Divulgação SESI/Marcelo Ferrazoli

OSASCO x FLUMINENSE

Surpreendido pelo caso de doping da levantadora Bruninha, o Fluminense não teve forças para competir com o Osasco. Jogando no domínio adversário, no ginásio José Liberatti, o Fluminense foi superado por 3×0, com parciais de 25/13, 25/23, 25/23. Com grande atuação individual, a oposta Tifanny foi o destaque do jogo.

Ao fim da partida, a oposta Tifanny comentou sobre o jogo, em conversa com a imprensa. “É muito importante a gente entrar concentrado em diminuir os erros nesse tipo de jogos. O Fluminense é um time muito batalhador. Aconteceu esse caso da Bruninha hoje, mas é um time que dá trabalho. Vamos nos cuidar para que a Superliga continue e esse público maravilhoso possa continuar vindo ao ginásio”.

O bloqueio do Osasco em ação/Divulgação/Carol Oliveira

MINAS X BARUERI

Recuperado após um surto de COVID no time, o Minas bateu o Barueri, em casa, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2022. O placar final do confronto, ficou em 3×0, a favor do Minas, com parciais de 25/17, 27/25, 25/15. Mesmo com o revés, a oposta Lorrayna do Barueri foi a maior pontuadora do jogo, com 21 pontos. Pelo Minas, a ponteira turca Ozsoy marcou 15 pontos.

Ao final do jogo, Pri Daroit comentou sobre a vitória, em entrevista. “Nossa postura no final do segundo set como equipe foi muito importante para a gente impor o nosso jogo no terceiro. Nossa equipe vinha de muitos altos e baixos, ficou muito tempo sem jogar, desde o Mundial no ano passado. Foi importante para a gente voltar a imprimir o nosso jogo, que é velocidade. Eu fiquei muito feliz com o meu desempenho”.

OS CONFRONTOS DA COPA DO BRASIL FEMININA 2022

O Itambé/Minas é o atual campeão da Copa do Brasil feminina/Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Foram definidos os confrontos da Copa do Brasil feminina de vôlei 2022. Com o terceiro adiamento do jogo entre Osasco e Minas, em virtude da pandemia, a CBV decidiu manter as posições da tabela de classificação, mesmo sem a realização da partida. Com isso, o Osasco assumiu a vice-liderança na classificação e o Minas ficou em 3º lugar.

Dito isso, o Praia Clube, líder da Superliga Feminina, enfrenta o Pinheiros, 8º colocado, pela Copa do Brasil feminina 2022. O Osasco, 2º colocado, joga contra o 7º colocado, no caso o Fluminense. Já o Minas, 3º colocado, enfrenta o Barueri de José Roberto Guimarães, 6º colocado. Fechando os confrontos da Copa do Brasil, o duelo teoricamente mais equilibrado entre o Sesi/Bauru, 4º colocado, contra o Sesc/Flamengo de Bernardinho, 5º colocado.

Os quatro primeiros colocados do turno da Superliga Feminina terão o mando de quadra nos confrontos de quartas-de-final. As finais da Copa do Brasil de vôlei 2022, nos dois naipes, estão previstas para acontecer na cidade de Blumenau, no fim do mês de Janeiro, a partir do dia 27, com transmissão do SPORTV. Confira abaixo a tabela das quartas-de-final do torneio.

COPA DO BRASIL FEMININA 2022

14/01 19:00 Praia Clube x Pinheiros CANAL VÔLEI BRASIL

17/01 20:00 Sesi/Bauru x Sesc/Flamengo SPORTV 2

18/01 19:00 Osasco x Fluminense SPORTV 2

18/01 21:30 Itambé/Minas x Barueri CANAL VÔLEI BRASIL