O ENCERRAMENTO DA SUPERLIGA B

Ainda por conta da pandemia do coronavírus, durante o mês de março, em reunião com os clubes da Superliga B, a Confederação Brasileira de Vôlei decidiu encerrar a competição nos dois naipes, após votação entre os representantes dos times. Com a decisão, ficou estabelecido que o acesso para a primeira divisão da Superliga será realizado de acordo com a última classificação do torneio, nas duas categorias.

Dessa forma, no feminino, Brasília e Vôlei Itajaí garantiram presença na temporada 2020/2021 da Superliga. Já no masculino, Vedacit/Guarulhos e Uberlândia/Gabarito, ficaram com as vagas da competição, entre os homens. Foram rebaixados, entre as mulheres, São Caetano e Valinhos. No naipe masculino, caíram de divisão, América Vôlei e Ponta Grossa.

Apesar disso, infelizmente, dadas as condições econômicas, pós-pandemia, o cenário de participantes da Superliga, na próxima temporada, deve mudar. Com dificuldades para honrar compromissos, muitas equipes da Superliga estão propondo redução de salários. O mercado de contratações está parado. Para se ter uma ideia da situação, o Sesi/SP dispensou seus principais atletas e irá disputar a Superliga 2020/2021 com uma equipe juvenil.

Para completar o rol de 24 participantes, 12 no feminino, 12 no masculino, a CBV terá de fazer contorcionismo. Com o advento da Superliga B, na temporada 2011/2012, será complicado para a confederação aprovar na assembleia de clubes, uma inclusão de equipes, sem o devido acesso na Superliga B. Fusão de times pode ser uma tendência de mercado.

Nos últimos dias, notícias veiculadas pela imprensa, dão como certa a fusão do Sesc/RJ, time de Bernardinho, com o Flamengo. Caso isso seja confirmado, uma vaga será aberta na competição feminina da Superliga 2020/2021, ao invés de 12 equipes, teremos 11 equipes confirmadas na próxima temporada, abrindo espaço para a inclusão de times da Superliga B ou até mesmo para virada de mesa.

VALINHOS E BOTAFOGO SÃO CAMPEÕES DA SUPERLIGA B

Valinhos e Botafogo são os campeões da temporada na Superliga B, nos naipes feminino e masculino, respectivamente. Com os resultados, os dois times ganharam o acesso para a próxima edição da divisão principal da Superliga. Junto com as duas equipes, também subiram para a elite do voleibol brasileiro, os dois vice-campeões de cada naipe. No caso, Flamengo, entre as mulheres, e Blumenau, entre os homens.

Nas decisões de título, realizadas em jogo único, nas duas categorias, o Valinhos bateu o Flamengo no tie-break, com parciais de 25/22, 25/22, 21/25, 20/25, 15/13, no feminino. A ponta Duda do Valinhos foi a maior pontuadora da final. Ela marcou 21 pontos. Já no masculino, o Botafogo sagrou-se campeão com um triunfo sobre o Blumenau por 3×1, com parciais de 25/16, 22/25, 26/24, 25/21. O oposto Lorena do Botafogo foi o destaque do jogo.

A Superliga B é a divisão de acesso da principal competição do voleibol brasileiro. Disputada desde 2012, o torneio é organizado pela CBV – Confederação Brasileira de Vôlei, em substituição a antiga Liga Nacional. Em 2019, ocorreu a oitava edição da Superliga B, no naipe masculino, com 8 equipes. No feminino, sua realização aconteceu pela sexta vez, também com oito times. Todos os anos, campeão e vice conquistam o acesso a elite da Superliga.