RÚSSIA VENCE ITÁLIA B

A seleção russa feminina de vôlei venceu a Itália, na tarde de hoje, 31 de Maio, em jogo válido pela Liga das Nações 2021. Jogando na bolha de Rimini, contra as anfitriãs da competição, a Rússia conquistou a terceira vitória no torneio, pelo placar de 3×0, com parciais de 26/24, 25/23, 27/25. A Itália cedeu 24 pontos em erros. Sua equipe principal não esteve em quadra. Neste momento, elas treinam em separado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Mesmo assim, a jovem oposta da Itália Nwakalor foi a maior pontuadora do jogo com a Rússia. Ela marcou 22 pontos. Pela Rússia, Fedorovsteva fez 18 pontos. Na próxima rodada, amanhã, a Itália enfrenta o Japão, às 14h. Já a Rússia, joga contra o Brasil, às 16h, com transmissão do SPORTV 2.

O bloqueio russo tenta parar a oposta italiana Nwalakor/Divulgação FIVB

EM JOGO DE RECUPERAÇÃO, BRASIL DERROTA JAPÃO

Pela Liga das Nações feminina 2021, na bolha de Rimini na Itália, em mais uma prévia da fase preliminar dos Jogos de Tóquio, o Brasil derrotou o Japão. Foi a terceira vitória brasileira na competição em 4 jogos. O placar final do confronto ficou em 3×0, com parciais de 25/15, 25/19, 25/21, a favor das brasileiras. O Brasil realizou a sua melhor partida no torneio até o momento. A ponteira Garay foi a maior pontuadora da partida, com 21 pontos. Pelo Japão, Koga marcou 13 pontos. Com o resultado, o Brasil se recuperou do revés para os Estados Unidos na partida anterior. Na próxima rodada, amanhã, as brasileiras enfrentam a Rússia, às 16h, com transmissão do SPORTV 2. Já o Japão joga contra a Itália, às 14h.

BRASIL Macris, Tandara, Carol, Carol Gattaz, Gabi, Garay, Brait (L). Entraram: Roberta, Rosamaria. Técnico: José Roberto Guimarães

JAPÃO Momii, Kurogo, Okumura, Shimamura, Ishikawa, Koga, Inoue (L). Entraram: Hayashi, Tashiro, Seki, Kobata (L), Ishii. Técnica: Kumi Nakada

A seleção brasileira feminina em comemoração de ponto/Divulgação FIVB

CONTRA O CANADÁ, BRASIL CONQUISTA 3ª VITÓRIA

Pela Liga das Nações masculina 2021, em sua terceira partida na competição, na bolha de Rimini na Itália, o Brasil derrotou o Canadá. Foi a terceira vitória consecutiva brasileira no torneio. Com o resultado, os brasileiros assumiram a liderança da VNL 2021. O Brasil não entrou em quadra com força máxima. Após abrir 2×0, os brasileiros tiveram muitas dificuldades para fechar o jogo. O placar final do confronto ficou em 3×1, com parciais 25/17, 25/20, 22/25, 27/25, a favor do Brasil. O oposto canadense Vernon foi o maior pontuador da partida. Ele marcou 24 pontos. Pelo Brasil, Douglas Souza anotou 22 pontos. Na próxima rodada, na quinta-feira, 3 de Junho, o Brasil enfrenta a França, às 10h, com transmissão do SPORTV 2. Já o Canadá joga contra o Irã, às 7h.

CANADÁ Walsh, Vernon, Szwarc, Vanberkel, Hoag, Loeppky, Bann (L). Entraram: Marshall, Sclater. Técnico: Glenn Hoag

BRASIL Cachopa, Wallace, Flávio, Isac, Maurício Borges, Douglas Souza, Thales (L). Entraram: Bruninho, Felipe Roque, Vaccari, Matheus Pinta, Lucarelli. Técnico: Carlos Schwanke

OUTROS RESULTADOS

Austrália 1×3 França 26/28, 25/20, 14/25, 23/25

Holanda 0x3 Irã 18/25, 23/25, 28/30

Alemanha 3×2 Bulgária 19/25, 25/21, 22/25, 30/28, 15/11

Rússia 2×3 Japão 26/28, 28/26, 25/20, 21/25, 14/16

EUA 3×1 Argentina 23/25, 25/21, 25/15, 25/19

Polônia 1×3 Eslovênia 22/25, 25/23, 19/25, 23/25

Sérvia 3×1 Itália 25/23, 22/25, 25/22, 25/18

A seleção brasileira comemora ponto/Divulgação FIVB

NO SEGUNDO JOGO, BRASIL VENCE OS ESTADOS UNIDOS

O Brasil conquistou mais uma vitória na Liga das Nações masculina 2021. Em sua segunda partida na competição, jogando contra os Estados Unidos, na bolha de Rimini na Itália, a seleção brasileira venceu o confronto contra os americanos, por 3×0, com parciais de 25/22, 25/23, 25/19. O Brasil fez uma bela exibição na terceira parcial, com muito volume de jogo e um sistema defensivo efetivo. O oposto americano Patch foi o maior pontuador do duelo, com 18 pontos. Pelo Brasil, Alan e Leal marcaram 12 pontos cada. Na próxima rodada, amanhã, o Brasil enfrenta o Canadá, às 13h, com transmissão do SPORTV 2. Os Estados Unidos jogam contra os argentinos, às 11h.

EUA Christenson, Patch, Jendryk, Stahl, Defalco, Jaeschke, Shoji (L). Entraram: Muagututia. Técnico: John Speraw

BRASIL Bruninho, Wallace, Flávio, Isac, Leal, Lucarelli, Thales (L). Entraram: Alan. Técnico: Carlos Schwanke

OUTROS RESULTADOS

Alemanha 2×3 França 25/22, 22/25, 25/22, 16/25, 15/17

Irã 1×3 Rússia 17/25, 25/20, 20/25, 17/25

Holanda 2×3 Japão 25/22, 25/23, 22/25, 17/25, 8/15

Austrália 0x3 Bulgária 21/25, 20/25, 20/25

Polônia 3×1 Sérvia 26/24, 25/19, 21/25, 25/15

Itália 0x3 Eslovênia 23/25, 19/25, 15/25

Argentina 0x3 Canadá 17/25, 21/25, 17/25

O ponteiro Leal batendo a pipe/Divulgação FIVB

SELEÇÃO MASCULINA ESTREIA COM VITÓRIA

A seleção brasileira masculina de vôlei estreou com vitória na Liga das Nações 2021. Jogando contra os argentinos, na bolha de Rimini na Itália, o Brasil venceu a sua primeira partida na competição, por 3×0, com parciais de 31/29, 26/24, 25/16. Os brasileiros foram muito bem no serviço, com 7 pontos diretos no fundamento. Os argentinos cederam 25 pontos em erros. O oposto Pereyra da Argentina foi o maior pontuador do confronto com 16 pontos. Pelo Brasil, Lucarelli marcou 14 pontos. Na próxima rodada, amanhã, 29 de Maio, o Brasil enfrenta os Estados Unidos, às 16h, com transmissão do SPORTV 2. Já os argentinos jogam contra o Canadá, às 14h30.

BRASIL Bruninho, Wallace, Isac, Flávio, Lucarelli, Leal, Thales (L). Entraram: Cachopa, Felipe Roque, Maurício Borges, Douglas Souza. Técnico: Carlos Schwanke

ARGENTINA De Cecco, Pereyra, Solé, Ramos, Conte, Martínez, Mendez (L). Entraram: Uriarte, Palonsky. Técnico: Marcelo Mendez

OUTROS RESULTADOS

França 3×0 Bulgária 27/25, 25/21, 25/23

Alemanha 3×0 Austrália 25/19, 25/18, 25/16

Japão 3×0 Irã 25/19, 25/22, 26/24

Sérvia 3×1 Eslovênia 22/25, 25/18, 36/34, 25/18

Holanda 1×3 Rússia 19/25, 22/25, 25/18, 20/25

EUA 3×0 Canadá 25/17, 26/24, 25/20

Polônia 3×0 Itália 25/19, 25/20, 25/18

O ponteiro Lucarelli larga sobre o bloqueio argentino/Divulgação FIVB

CONTRA EUA, BRASIL PERDE INVENCIBILIDADE

O Brasil perdeu a invencibilidade na Liga das Nações feminina 2021. Em sua terceira partida na competição, a seleção brasileira foi derrotada pelos Estados Unidos. As brasileiras tiveram baixo aproveitamento no ataque, tanto na virada de bola, quanto nos contra-ataques. O placar final do confronto ficou em 3×1, com parciais de 25/17, 25/19, 23/25, 25/22, a favor dos Estados Unidos. A ponteira norte-americana Sarah Wilhite foi a maior pontuadora do jogo, com 25 pontos. Pelo Brasil, Fernanda Garay marcou 18 pontos. Na próxima rodada, na segunda-feira, 31 de Maio, as brasileiras enfrentam o Japão, às 10h, com transmissão do SPORTV 2. Já os Estados Unidos jogam contra a Sérvia, às 14h30.

BRASIL Macris, Tandara, Bia, Adenízia, Gabi, Garay, Brait (L). Entraram: Dani Lins, Lorenne, Sheilla, Carol Gattaz, Mayany. Técnico: José Roberto Guimarães

EUA Poulter, Drews, Washington, Akinradewo, Larson, Wilhite, Wong-Orantes (L). Técnico: Karch Kirally

OUTROS RESULTADOS

Alemanha 3×0 Bélgica 25/20, 25/19, 25/13

Rússia 1×3 Holanda 14/25, 22/25, 25/23, 20/25

Coreia do Sul 0x3 Japão 18/25, 18/25, 25/27

Canadá 1×3 Rep. Dominicana 17/25, 24/26, 30/28, 16/25

China 3×0 Tailândia 25/15, 25/15, 25/23

Polônia 1×3 Turquia 23/25, 27/25, 23/25, 20/25

Sérvia 3×1 Itália 25/18, 23/25, 26/24, 25/20

A ponteira norte-americana Wilhite, maior pontuadora do jogo/Divulgação FIVB

BRASIL BATE DOMINICANAS

O Brasil conquistou a segunda vitória na Liga das Nações feminina 2021. Jogando contra a República Dominicana, na bolha de Rimini na Itália, em uma prévia do confronto da fase preliminar dos Jogos de Tóquio, as brasileiras saíram de quadra com um resultado positivo. Sem dar chances para o adversário, o Brasil derrotou a seleção dominicana, por 3×0, com parciais 25/20, 25/13, 25/17.

A oposta Tandara e a ponteira Garay empataram na liderança da pontuação da partida, com 14 pontos cada. Pela seleção dominicana, Gonzales e Jineiry Martínez marcaram 6 pontos cada. Amanhã, na próxima rodada, o Brasil enfrenta os Estados Unidos, às 14h30, com transmissão do SPORTV 2. Já as dominicanas jogam contra o Canadá, mais cedo, às 10h, também com transmissão do SPORTV 2.

BRASIL Macris, Tandara, Mayany, Carol Gattaz, Gabi, Garay, Brait (L). Entraram: Roberta, Sheilla, Ana Cristina. Técnico: José Roberto Guimarães

REP. DOMINICANA Marte, Gonzalez, Eve, Jineiry Martínez, De La Cruz, Rivera, Castillo (L). Entraram: Valdez, Peña, Mambrú. Técnico: Marcos Kwiek

OUTROS RESULTADOS

Holanda 2×3 Alemanha 25/18, 18/25, 30/28, 23/25, 12/15

Tailândia 1×3 Coreia do Sul 25/15, 13/25, 18/25, 17/25

China 0x3 Japão 13/25, 19/25, 17/25

Bélgica 2×3 Rússia 25/23, 25/21, 19/25, 19/25, 8/15

Sérvia 3×1 Polônia 20/25, 25/17, 25/16, 25/21

Turquia 3×0 Itália 25/13, 25/23, 25/16

EUA 3×0 Canadá 26/24, 25/15, 25/10

A ponteira brasileira Garay, um dos destaques da partida/Divulgação FIVB

NA ESTREIA, BRASIL DERROTA CANADÁ

A seleção brasileira feminina de vôlei estreou com vitória na Liga das Nações 2021. Jogando contra o Canadá, na bolha de Rimini na Itália, após um susto na primeira parcial, o Brasil conquistou seu primeiro triunfo na competição, de virada, com parciais de 23/25, 25/11, 25/9, 25/14. O bloqueio brasileiro teve grande performance na partida, com 19 pontos diretos no fundamento. A ponteira brasileira Gabi foi a maior pontuadora do confronto. Ela anotou 15 pontos. Pelo Canadá, Van Ryk marcou 13 pontos. Amanhã, na próxima rodada, o Brasil enfrenta a República Dominicana, às 13h, com transmissão do SPORTV 2. O Canadá joga contra os Estados Unidos, às 16h, também com transmissão do SPORTV 2.

BRASIL Macris, Tandara, Carol, Bia, Gabi, Garay, Brait (L). Entraram: Dani Lins, Lorenne, Ana Cristina, Nyeme (L). Técnico: José Roberto Guimarães

CANADÁ King, Van Ryk, Cross, Maglio, Howe, Mitrovic, Bujan (L). Entraram: Smith, Joseph, Livingston, White. Técnica: Shannon Winzer

OUTROS RESULTADOS – 1ª RODADA

Holanda 3×0 Bélgica 25/21, 25/19, 25/18

Turquia 3×2 Sérvia 25/21, 18/25, 25/23, 22/25, 16/14

Alemanha 0x3 Rússia 21/25, 22/25, 19/25

Japão 3×0 Tailândia 25/15, 25/17, 25/16

China 3×1 Coreia do Sul 23/25, 25/19, 25/19, 25/18

Rep.Dominicana 0x3 Estados Unidos 20/25, 21/25, 12/25

Itália 2×3 Polônia 22/25, 25/22, 25/20, 22/25, 15/17

A LIGA DAS NAÇÕES 2021

Começa amanhã na bolha de Rimini na Itália, a Liga das Nações 2021. Após ser cancelada no ano passado, por causa da pandemia do coronavírus, a principal competição anual da FIVB está de volta. O retorno da VNL está cercado de regras e restrições para preservar a saúde dos atletas. Para se ter uma ideia, na semana passada, a FIVB divulgou para a imprensa, um caderno de encargos com todas as normas estabelecidas para a realização do evento.

Infelizmente, isso não impediu algumas baixas na competição. Após um surto de contaminação do vírus da COVID-19, a seleção masculina da China desistiu de disputar o torneio. Em seu lugar, entrou a Holanda. No naipe feminino, a Tailândia enfrentou o mesmo problema do time masculino da China, chegando ao ponto de também anunciar uma desistência. Mas, uma reviravolta, com uma nova lista de jogadoras, entre elas, grandes nomes do vôlei tailandês, reverteu o caso.

Falando em desistências, algumas seleções preferiram priorizar a Olimpíada de Tóquio e inscrever atletas mais jovens ou inexperientes para dar rodagem. No feminino: China, Itália e Sérvia. No masculino: Itália. Na opinião do blog, uma aposta arriscada. Depois de um ano sem competições entre seleções, a Liga das Nações é a oportunidade certa para dar ritmo de jogo e entrosar os atletas novamente. Apesar da Olimpíada ser a competição mais importante da temporada, descartar a Liga das Nações é um risco, dado a imprevisibilidade da temporada, devido ao coronavírus.

Sobre favoritismo, como foi dito acima, é uma temporada imprevisível. Em termos de comparação, durante as ligas europeias de clubes, foi comum acontecerem desistências ou derrotas por W.O., por culpa do vírus. Além disso, após mais de um ano de paralisação da temporada de seleções, o panorama técnico poderá sofrer alterações.

Na versão feminina da VNL, o blog aponta 7 seleções que brigam por 4 vagas nas finais. São elas: Estados Unidos, Turquia, Brasil, Rússia, Japão, Polônia e República Dominicana. No masculino, o quadro técnico não deve mudar tanto como no feminino. Estados Unidos, Brasil, Rússia, Polônia, França e Sérvia brigam por vagas nas finais. As demais seleções correm por fora.

OS AMISTOSOS DO BRASIL

A seleção brasileira masculina/Divulgação CBV/Wander Roberto

Próximo da estreia na Liga das Nações 2021, a seleção brasileira masculina de vôlei realizou três jogos amistosos contra a Venezuela, no Rio de Janeiro, no último fim de semana. Ainda longe do ideal, o Brasil demorou para encontrar o seu ritmo de jogo, principalmente, nas duas primeiras partidas. Sob o comando de Schwanke, os brasileiros não enfrentaram quase nenhuma resistência dos venezuelanos.

A Venezuela não conseguiu vencer uma parcial sequer. Para se ter uma ideia da fragilidade venezuelana, nos três jogos, eles não conseguiram alcançar 20 pontos, em 9 parciais disputadas. Portanto, fica claro que a Venezuela não é parâmetro para o Brasil. É certo que na Liga das Nações 2021, o Brasil enfrentará adversários mais fortes e qualificados.

No entanto, a série de amistosos serviu para destacar alguns pontos positivos e negativos do Brasil. Pra começar, Schwanke conseguiu promover alguns testes e rodar o elenco, durante as três partidas. O time considerado titular entrou em quadra no terceiro jogo. Neste confronto, foi possível notar o ganho no bloqueio da seleção, em relação aos dois primeiros jogos. É bom ressaltar que essa é a especialidade de treinamento do técnico Schwanke, assistente de Renan.

Outra dado curioso dos amistosos, é a bola do oposto Wallace na saída de rede. Muito marcado nas últimas temporadas, Wallace amadureceu, foi jogar na Europa. Sua bola na saída está mais rápida. Além disso, ele apresentou novos golpes de ataque. Tudo para fugir da marcação de bloqueio. A conferir!

O oposto Wallace em ação de ataque/Divulgação CBV/Wander Roberto

Coletivamente, o Brasil apresentou bom volume de jogo e muita força no serviço. Porém, encontrou dificuldades para confirmar os pontos em contra-ataque. A virada de bola continua eficiente. Todos esses aspectos serão fundamentais para uma boa campanha na Liga das Nações 2021 e na Olimpíada de Tóquio.