ZÉ ROBERTO DIVULGA LISTA PARA A COPA DO MUNDO

O técnico da seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães, divulgou a lista final da equipe brasileira que irá disputar a Copa do Mundo 2019, no Japão. Foram convocadas: as levantadoras Macris e Roberta, as opostas Sheilla e Lorenne, as ponteiras Gabi, Drussyla, Amanda e Gabi Cândido, as centrais Bia, Mara, Carol e Fabiana, e as líberos Léia e Camila Brait.

Ficaram de fora, a ponteira Natália e a oposta Tandara. Natália foi poupada por José Roberto, depois de enfrentar uma série de contusões, durante toda a temporada. Já Tandara pediu dispensa para tratar de problemas particulares. Em 2019, ela esteve em quadra com a camisa do Brasil apenas no Pré-Olímpico, no mês de Agosto.

A Copa do Mundo é a última competição do calendário de seleções da FIVB, em 2019. Excepcionalmente, não irá distribuir vagas para as Olimpíadas, em virtude da sede dos Jogos em 2020, ser a cidade de Tóquio, no Japão. No entanto, o torneio distribui pontuação para o ranking internacional. A premiação para os vencedores também cresceu para aumentar o nível de competição.

O Brasil estreia na versão feminina da Copa, no dia 14 de setembro, na cidade de Hamamatsu, contra a Sérvia, às 5h. No total, serão 11 jogos, durante 15 dias, em 3 sedes distintas, até o dia 29 de setembro. Participam da Copa do Mundo 2019, além do Brasil, as seguintes seleções: Rússia, Sérvia, Holanda, Argentina, Estados Unidos, República Dominicana, Japão, China, Coréia do Sul, Camarões e Quênia.

OS AMISTOSOS DA SELEÇÃO MASCULINA

No último final de semana, a seleção brasileira masculina de vôlei encerrou uma série de amistosos contra os argentinos, com vistas à disputa do Sul-Americano e da Copa do Mundo. Foram 4 jogos, dois em cada país. No saldo final da maratona de jogos, o Brasil venceu três partidas e a Argentina venceu uma. As duas seleções utilizaram os confrontos para testar formações e dar rodagem aos jogadores mais jovens dos times. Não participaram de nenhum jogo dos amistosos, pela seleção brasileira, o central Lucão e o oposto Wallace. Pela seleção argentina, o ponteiro Conte, o levantador De Secco e o central Solé também ficaram de fora.

JOGO 1

No primeiro do duelo dos amistosos contra a Argentina, na província de El Calafate, em Santa Cruz, na sexta-feira, 23 de Agosto, o Brasil foi derrotado por 3×1, com parciais de 25/22, 25/27, 25/19, 25/21. O time brasileiro não contou com suas principais peças e foi comandando pelo técnico Giuliano Ribas, o Juba. Iniciaram o jogo pelo Brasil: o levantador Thiaguinho, o oposto Filipe Roque, os ponteiros Douglas Souza e Kadu, os centrais Flávio e Matheus Bispo, e o líbero Maique. Os argentinos mesclaram sua equipe, com metade do elenco medalha de ouro no Pan de Lima e metade do time que conquistou a classificação para os Jogos de Tóquio 2020 no Pré-Olímpico.

JOGO 2

No segundo jogo da série de amistosos, também em território adversário, no sábado 24 de Agosto, o Brasil deu o troco nos argentinos. Os brasileiros chegaram a abrir uma vantagem de 2×0 no placar, desperdiçando vários match-points na terceira parcial, permitindo o empate da Argentina na disputa. No fim, vitória brasileira por 3×2, com parciais de 25/23, 25/22, 28/30, 20/25, 15/10. Em relação à equipe do dia anterior, o técnico Juba fez duas alterações. O ponteiro Victor Birigui entrou no lugar de Kadu e o levantador Rendrick no lugar de Thiaguinho. O oposto Filipe Roque foi o maior pontuador do Brasil com 22 pontos. Ao final da partida, o técnico Juba comentou sobre a vitória.

“Hoje, nosso estudo em cima do adversário foi mais em organizar o nosso sistema. Rodamos bastante o time, colocamos atletas para testes, hoje fizemos algumas mudanças e tivemos respostas positivas. O objetivo foi cumprido, já que viemos para cá para levar esses meninos de volta para o Brasil amadurecidos”, disse Juba.

JOGO 3

Na terceira partida dos amistosos, jogando em Campinas, São Paulo, no ginásio do Taquaral, na sexta-feira, 30 de Agosto, a seleção brasileira não deu chances para os argentinos. Triunfo incontestável por 3×0, com parciais de 25/13, 25/19, 25/20. O time brasileiro contou com a atuação do levantador Bruninho e dos ponteiros Leal e Lucarelli. O técnico Renan Dal Zotto dirigiu a equipe pela primeira vez na série de jogos contra a Argentina. Ele comentou sobre o desempenho da seleção, na segunda vitória contra os argentinos.

“Foi um bom jogo. Jogamos bem, pressionando o tempo todo no saque e as coisas fluíram. Foi uma boa apresentação, acho que a torcida curtiu bastante e a nossa equipe não baixou a guarda em nenhum momento. Depois de um set tranquilo, como foi o primeiro, a tendência é dar uma baixada na guarda, mas isso não aconteceu. Ficamos foçados o tempo todo e o time está de parabéns”, falou Renan.

JOGO 4

No quarto e último jogo dos amistosos com a seleção Argentina, no sábado, 31 de Agosto, também em Campinas, o Brasil encerrou a série com a terceira vitória contra os argentinos. O resultado positivo foi de virada, pelo placar de 3×1, com parciais de 23/25, 25/17, 25/23, 27/25. O Brasil entrou em quadra com modificações na equipe, em relação à partida do dia anterior, assim como a Argentina. O técnico Renan Dal Zotto manteve o oposto Alan e o central Maurício Souza como titulares. Entraram no time: o levantador Cachopa, o central Isac, os ponteiros Douglas Souza e Maurício Borges, além do líbero Maique. Pela Argentina, entraram o levantador Sanchéz e o ponteiro Martínez, reforços do Sesc/Rio para a temporada 2019/2020 da Superliga Masculina.

Ao fim do jogo, o aniversariante do dia, o ponteiro Leal falou sobre a vitória e a sua entrada no jogo, no 4º set. “Estava esperando poder jogar e estou muito feliz. Tive a oportunidade de fechar um jogo importante para o nosso time. Esse é o primeiro aniversário com a camisa da seleção brasileira e agora é só comemorar”.

Fonte: CBV

OS AMISTOSOS DA SELEÇÃO FEMININA

A seleção brasileira feminina de vôlei realizou amistosos contra a seleção da Argentina, nessa semana, com vistas para o Campeonato Sul-Americano e a Copa do Mundo. Foram dois jogos na Arena Suzano, no estado de São Paulo, com dois resultados positivos, pelo placar de 3×0. No entanto, o selecionado argentino escalado para as duas partidas, era composto por um time B, de jogadoras juvenis. Dessa forma, as duas vitórias contra as argentinas não podem servir de parâmetro para o Brasil.

Ao técnico José Roberto Guimarães restou dar rodagem e ritmo de jogo para algumas atletas, que não estiveram com a seleção, de forma permanente, em outras competições, ao longo de 2019. São o caso da ponteira Drussyla e da central Carol. As ponteiras Gabi e Natália foram poupadas após uma temporada desgastante. Já a oposta Tandara teve uma nova contusão, não participando dos confrontos com a Argentina.

A série de amistosos também foi marcada pelo retorno às quadras da bicampeã olímpica Sheilla Castro. Ela estava parada desde os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Seu desempenho contra a Argentina foi regular. Além de Sheilla, a central Fabiana e a líbero Camila Brait também voltaram a defender a camisa da seleção brasileira. Porém, para Fabiana o destaque dos amistosos foi negativo. Ela saiu da partida, logo no comecinho do primeiro jogo, com uma fascite plantar.

De maneira objetiva, analisando o saldo final dos amistosos contra a Argentina, chega-se à conclusão que eles foram improdutivos. Não serviram nem mesmo para apagar o vexame do Pan de Lima, quando a seleção feminina perdeu por duas vezes para a mesma Argentina, por 3×0. Ficou a impressão para os torcedores que, a série de amistosos ocorreu para preencher o calendário, atendendo uma demanda dos patrocinadores e da televisão. Portanto, na verdade, as partidas tratavam-se de um produto caça-níquel.

FIVB DIVULGA TABELA DA COPA DO MUNDO 2019

A Federação Internacional de Vôlei divulgou na terça-feira, 11 de junho, a  tabela da Copa do Mundo. Em 2019, excepcionalmente, a competição não será classificatória para os Jogos Olímpicos, em virtude da cidade de Tóquio ser a sede do evento e o Japão sede da Copa do Mundo. No naipe feminino, o Brasil estreia contra a Sérvia, no dia 14 de setembro, em Hamamatsu. O formato do torneio ocorre no sistema round robin, todos contra todos. A seleção com maior número de vitorias será campeã. Além do Brasil e do Japão, participam da Copa do Mundo 2019, a campeã mundial e as duas melhores seleções ranqueadas de cada continente: Sérvia, Rússia, Holanda, Estados Unidos, República Dominicana, China, Coreia do Sul, Argentina, Camarões, Quênia. A disputa feminina acontece entre os 14 e 29 de setembro.

IMG_1944

Já no naipe masculino, o Brasil estreia contra o Canadá, no dia 1° de outubro, em Nagano. O formato da competição é o mesmo da disputa feminina. A seleção com maior número de vitórias será campeã. Participam da Copa do Mundo masculina, além de Brasil e Japão, o campeão mundial e dois melhores ranqueados de cada continente: Polônia, Rússia, Itália, Estados Unidos, Canadá, Irã, Austrália, Argentina, Egito e Tunísia. A competição ocorre na primeira quinzena de outubro.

IMG_1945