RENAN CONVOCA PARA O SUL-AMERICANO

Após o encerramento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o técnico Renan Dal Zotto convocou 14 jogadores para a disputa do Sul-Americano masculino 2021. Com relação à lista da Olimpíada, cinco atletas ficaram de fora. São eles: Leal, Wallace, Maurício Souza, Douglas Souza e Maurício Borges.

As novidades para a competição continental são: o oposto Abouba, o centrais Pingo e Flávio, os ponteiros João Rafael, Vaccari e Adriano, e o líbero Maique. Também compõem o grupo brasileiro os seguintes jogadores: o levantadores Bruninho e Cachopa, o ponteiro Lucarelli, o oposto Alan, o líbero Thales e os centrais Lucão e Isac.

Em entrevista para a assessoria da CBV, o ponteiro João Rafael comentou sobre a expectativa para o Sul-Americano 2021. “O Brasil sempre chega com uma responsabilidade muito grande em todas as competições e no Sul-Americano não é diferente. Estou muito feliz em ser convocado novamente. A Liga das Nações foi um campeonato muito especial, que me deu mais uma bagagem muito interessante, e agora vamos com tudo em busca de mais essa conquista”.

O Sul-Americano 2021 será disputado em Brasília, capital federal, entre os dias 1º e 5 de Setembro. Todos os jogos terão transmissão do SPORTV. Participam da competição as seleções do Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Venezuela. O Brasil defende uma hegemonia de quase 60 anos no torneio. Em 33 edições, venceu o campeonato por 32 vezes. Em 1964, o Brasil não disputou o Sul-Americano.

Fonte: CBV

SORTEADOS OS GRUPOS DO EUROPEU MASCULINO

Nesta quinta-feira, 27 de Maio, a Confederação Europeia de Vôlei sorteou os grupos do Campeonato Europeu masculino 2021. O torneio será realizado no mês de Setembro, entre os dias 1º e 19. Na fase preliminar, a competição será disputada em quatro sedes distintas: Cracóvia na Polônia, Ostrava na República Tcheca, Tampere na Finlândia e Tallinn na Estônia. Ao todo, 24 seleções participam do campeonato, divididos em 4 grupos, com 6 países cada. Os quatro primeiros de cada grupo avançam para as oitavas-de-final. As finais acontecem em Katowice na Polônia.

O grupo A é composto por Polônia, Bélgica, Sérvia, Ucrânia, Grécia e Portugal. O grupo B é formado por República Tcheca, Itália, Eslovênia, Bulgária, Bielorrússia e Montenegro. O grupo C é composto por Finlândia, Rússia, Holanda, Turquia, Espanha e Macedônia. O grupo D é formado por Estônia, França, Alemanha, Letônia, Eslováquia e Croácia. A seleção da Sérvia é atual campeã europeia. Em 2019, venceu a Eslovênia na final, em Paris, na França.

SORTEADOS OS GRUPOS DO EUROPEU FEMININO

Na última quinta-feira, 20 de Maio, a Confederação Europeia de Vôlei sorteou os grupos do Campeonato Europeu Feminino 2021. Na 1ª fase, a competição terá quatro sedes distintas. Todas no Leste Europeu: Belgrado na Sérvia, Plovidiv na Bulgária, Zadar na Croácia e Cluj na Romênia. Ao todo, 24 seleções disputam o campeonato, divididas em 4 grupos, com 6 países cada. Os quatro primeiros de cada grupo avançam para as oitavas-de-final. Nesta fase, as sedes serão cidades na Sérvia e na Bulgária, assim como nas quartas-de-final. As semifinais e a final acontecem na Sérvia.

O grupo A é composto pela Sérvia, Azerbaijão, Rússia, Bélgica, França e Bósnia. O grupo B é formado por Bulgária, Polônia, Alemanha, Espanha, República Checa e Grécia. O grupo C é composto por Croácia, Itália, Bielorrússia, Eslováquia, Hungria e Suíça. O grupo D é formado por Romênia, Turquia, Holanda, Ucrânia, Finlândia e Suécia. A seleção da Sérvia é a atual bicampeã europeia. Em 2019, venceu a Turquia na final, dentro do domínio adversário, em Ancara.

DOMINICANAS CONQUISTAM 2º TÍTULO CONTINENTAL

Na domingo passado, 13 de Outubro, na cidade de San Juan, em Porto Rico, a República Dominicana sagrou-se campeã continental da região da Norceca na categoria feminina. Foi o segundo título dominicano na história da competição. Anteriormente, as dominicanas foram campeãs de seu continente no ano de 2009. Ainda em 2019, no mês de Agosto, a República Dominicana foi medalha de ouro no Pan, também pela segunda vez na história.

Na decisão do campeonato continental da Norceca, a seleção dominicana feminina superou os Estados Unidos, pela 1ª vez, em uma final do torneio. O placar do jogo ficou em 3×2, a favor das dominicanas, com parciais 25/19, 25/23, 15/25, 20/25, 15/9. Foi uma revanche do revés das últimas finais do campeonato, quando a República Dominicana saiu derrotada pelas americanas em 2013 e 2015. Em 2017, não houve disputa da competição.

Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção canadense. Jogando contra Porto Rico, no domínio adversário, o Canadá bateu as donas da casa, na disputa do bronze, pelo placar máximo, com parciais de 26/24, 25/13, 25/20.

A seleção dominicana comemora título/Divulgação Norceca

PREMIAÇÃO INDIVIDUAL

A ponteira dominicana Brayelin Martínez foi eleita a MVP – melhor jogadora do campeonato. Também foram premiadas a americana Poulter, como melhor levantadora, a americana Hill como melhor atacante, a dominicana De La Cruz como melhor saque, a americana Lowe como melhor oposta, a central Dixon como melhor bloqueadora e a líbero americana Wong como melhor defesa.

SÉRVIA É CAMPEÃ EUROPEIA TAMBÉM NO MASCULINO

No último domingo, em Paris, a seleção masculina de vôlei da Sérvia conquistou o título do Europeu 2019. Pela segunda vez na história, a Sérvia ganhou o ouro na competição. Anteriormente, os sérvios foram campeões em 2011. Em 2019, na decisão, a seleção da Sérvia derrotou a surpreendente Eslovênia, de virada, por 3×1, com parciais de 19/25, 25/16, 25/18, 25/20. O ponteiro Uros Kovacevic foi eleito o MVP – melhor jogador do campeonato. Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção polonesa que bateu a França, na disputa do bronze, pelo placar de 3×0.

O sérvio Kovacevic, melhor jogador do Europeu 2019/Divulgação CEV

IRÃ É TRICAMPEÃO ASIÁTICO

No último sábado, 21 de Setembro, em Teerã, no Irã, a seleção iraniana masculina de vôlei sagrou-se campeã asiática. Foi o terceiro título do Irã na história da competição. Anteriormente, os iranianos também conquistaram o continente em 2011 e 2013. Em 2019, na decisão, a seleção iraniana derrotou os australianos por incontestáveis 3×0, com parciais de 25/14, 25/17, 25/21. Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção japonesa. Na disputa do bronze, o Japão venceu a Coréia do Sul, por 3×1, com parciais de 25/23, 25/17, 23/25, 25/22.

BRASIL MANTÉM HEGEMONIA NO CONTINENTE

A seleção brasileira masculina de vôlei manteve a hegemonia no Campeonato Sul-Americano. Jogando em Santiago, no Chile, o Brasil conquistou o 32º título da competição. Na decisão, a seleção masculina derrotou a Argentina, no tie-break, após reverter uma desvantagem de 2×0 no placar. A única vez em que os brasileiros não foram campeões sul-americanos foi em 1964, quando não participaram do torneio por problemas políticos. O oposto do Brasil Alan foi eleito MVP do campeonato. Completou o pódio do Sul-Americano 2019, na 3ª posição, a seleção chilena, depois de bater a Venezuela por 3×0, na disputa do bronze.

Ao fim do jogo, o ponteiro Douglas Souza, responsável pelo ponto do título, conversou com a assessoria da CBV sobre a conquista. “Sabíamos que seria um jogo difícil, uma final do Sul-Americano sempre é difícil e muito importante para o nosso time, quanto mais contra a Argentina. Para o nosso time, que é muito novo, foi importante adquirir essa grande experiência e saímos com mais energia ainda para os próximos desafios”.

SELEÇÃO DO SUL-AMERICANO 2019

A seleção do Campeonato Sul-Americano 2019 foi composta pelo levantador argentino Sánchez, o oposto argentino Lima, os central chileno Araya e o central brasileiro Flávio, o ponteiro Leal do Brasil e o ponteiro Bonacic do Chile, e o líbero argentino Danani.

A CAMPANHA DO TÍTULO

Fase de grupos

10/09 Brasil 3×0 Equador 25/10, 25/16, 25/14

11/09 Brasil 3×0 Colômbia 25/15, 25/10, 25/17

12/09 Brasil 3×1 Argentina 25/23, 25/21, 18/25, 25/21

Semifinal

13/09 Brasil 3×0 Chile 25/16, 25/17, 25/21

Final

14/09 Brasil 3×2 Argentina 24/26, 22/25, 31/29, 25/20, 15/13

A comemoração do título/Maurício Palma/Fevochi

O SUL-AMERICANO MASCULINO

Começa hoje no Chile, nas cidades de Santiago e Temuco, o Sul-Americano Masculino de vôlei. O Brasil defende uma hegemonia histórica na competição. Em toda às vezes que disputou o torneio, a seleção brasileira masculina nunca perdeu o campeonato. Foram 31 títulos, em 32 edições. A exceção se deu em 1964, quando o Brasil não participou do Sul-Americano por problemas políticos. Naquele ano, a seleção da Argentina foi a campeã do continente, em Buenos Aires.

2019

Participam do Campeonato Sul-Americano 2019, oito seleções divididas em dois grupos. O Brasil está no grupo A, ao lado de Equador, Colômbia e Argentina. O outro grupo é formado por Chile, Venezuela, Peru e Bolívia. Os dois primeiros de cada chave avançam de fase. A estreia brasileira acontece nessa terça-feira, 10 de Setembro, às 22h, hora de Brasília, contra o Equador.

O técnico Renan Dal Zotto poupou do Sul-Americano alguns de seus principais jogadores. Entre eles: Bruninho, Lucarelli, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucão. Todos eles ficaram em Saquarema treinando para a Copa do Mundo. O oposto Wallace já havia pedido dispensa para cuidar da família e não joga mais esse ano pelo Brasil. O objetivo da medida é dar rodagem e testar jovens promessas.

Foram convocados para o Sul-Americano 2019, por Renan Dal Zotto, os seguintes atletas: os levantadores Cachopa e Carísio, os opostos Alan e Filipe Roque, os centrais Flávio, Isac, Matheus Bispo e Cledenilson, os ponteiros Leal, Douglas Souza, Hugo e Victor Birigui, e os líberos Thales e Maique.

Competição

A cada nova edição do Sul-Americano de vôlei masculino cresce a ameaça ao predomínio brasileiro na competição. Em 2017, a esperada final com a Argentina não ocorreu. Isso mostra que o nível do voleibol jogado no continente aumenta paulatinamente. Não são apenas os argentinos que podem nos oferecer resistência. Venezuela e Chile já estão no radar.

A julgar pelo fato de Brasil e Argentina pouparem seus principais jogadores da competição, tudo pode acontecer. Claro, as duas seleções são as principais favoritas. No entanto, a Venezuela de Rodriguez e o Chile dos irmãos Parraguirre estão evoluindo. E é bom lembrar que Venezuela ou Chile estarão nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, pois brasileiros e argentinos já estão classificados.

Dada a conjuntura, o que se espera do Brasil no Sul-Americano é a afirmação de jovens promessas como Victor Birigui, um ganho maior de entrosamento de Leal com a seleção, além da manutenção da hegemonia histórica no continente.

A tabela do Sul-Americano 2019

10/09 Grupo A 22:00 Brasil x Equador

11/09 Grupo A 22:00 Brasil x Colômbia

12/09 Grupo A 16:00 Brasil x Argentina

13/09 Semifinal 1 19:30

13/09 Semifinal 2 21:30

14/09 Final 21:30

APÓS 8 ANOS, CUBA VENCE CAMPEONATO CONTINENTAL

No último final de semana, em Winnipeg, no Canadá, a seleção cubana masculina de vôlei sagrou-se campeã continental da região da Norceca. Foi o primeiro título de Cuba na competição do continente após um jejum de 8 anos. Ainda em 2019, no mês de Agosto, os cubanos conquistaram a Norceca Champions Cup e levaram a medalha de prata no Pan de Lima.

Na decisão do campeonato continental da Norceca, contando com o reforço do central Simon, reintegrado ao país, Cuba derrotou o time B dos Estados Unidos por 3×1, com parciais de 25/18, 21/25, 25/20, 25/20. Foi uma revanche do revés da 1ª fase, quando os americanos venceram por 3×0. O ponteiro cubano López foi eleito MVP da competição.

Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção canadense. Jogando em casa, com o time considerado titular, o Canadá bateu o México, na disputa do bronze, pelo placar máximo, com parciais de 25/14, 25/18, 25/12.

SÉRVIA É TRICAMPEàEUROPEIA

A seleção feminina de vôlei da Sérvia conquistou o título do Campeonato Europeu 2019. Pela terceira vez na história, a Sérvia ganhou a medalha de ouro na competição, a segunda de forma consecutiva. Anteriormente, a atual campeã mundial da modalidade, foi campeã europeia em 2011 e 2017. Completou o pódio do torneio, na 3ª posição, a seleção italiana que venceu a Polônia na disputa do bronze.

GRANDE FINAL

Jogando em Ankara, na Turquia, na grande final de 2019, a seleção da Sérvia derrotou a seleção turca de virada, no tie-break, com parciais de 21/25, 25/21, 25/21, 22/25, 15/13. A oposta Boskovic da Sérvia foi a maior pontuadora da decisão com 23 pontos. Ela ainda foi eleita MVP do Europeu 2019. Foi a segunda premiação consecutiva dela no campeonato. Em 2017, Boskovic também foi escolhida como melhor jogadora da competição.

A CAMPANHA DO TÍTULO

Fase de grupos

23/08 Sérvia 3×0 Finlândia 25/17, 25/15, 25/17

25/08 Bulgária 1×3 Sérvia 25/16, 21/25, 20/25, 16/25

26/08 França 1×3 Sérvia 19/25, 13/25, 25/17, 23/25

28/08 Sérvia 3×0 Grécia 25/21, 25/17, 25/21

29/08 Turquia 1×3 Sérvia 25/23, 19/25, 22/25, 22/25

Oitavas-de-final

01/09 Sérvia 3×0 Romênia 25/20, 25/17, 25/23

Quartas-de-final

04/09 Sérvia 3×0 Bulgária 25/19, 25/18, 28/26

Semifinal

07/09 Sérvia 3×1 Itália 25/22, 25/21, 21/25, 25/20

Final

08/09 Sérvia 3×2 Turquia 21/25, 25/21, 25/21, 22/25, 15/13