O BALANÇO DA SUPERLIGA 2021/2022

Terminou a temporada 2021/2022 da Superliga! Cruzeiro, entre os homens, e Minas, entre as mulheres, foram os grandes campeões da temporada. Além disso, um fato curioso marcou a última edição da competição. Pela 1ª vez, em muitos anos, os melhores atletas do torneio foram estrangeiros. No feminino, a norte-americana Reed, a dominicana Pena do Flamengo e a turca Ozsoy encabeçaram a seleção da competição. Já no masculino, o cubano López do Cruzeiro foi eleito MVP. Dada a grande dificuldade dos clubes em repor suas peças, apenas com brasileiros, a contratação de estrangeiros é um caminho sem volta, apesar do valor atual do dólar.

López foi eleito o melhor jogador da Superliga Masculina/Eliezer Esportes/Agência i7/Divulgação CBV

TEMPORADA QUASE PERFEITA

Após a conquista do Sul-Americano e do Mundial de Clubes, o Cruzeiro reconquistou a joia da coroa. Na estreia do ex-ponteiro Filipe Ferraz, como técnico, o Cruzeiro venceu a Superliga Masculina, após três temporadas de jejum. A surpreendente eliminação para o Vôlei Itapetininga na edição anterior da competição, serviu como lição. Reformulado, o Cruzeiro quase teve uma temporada perfeita, não fosse a perca da Copa do Brasil 2022, vencida pelo Minas.

O Cruzeiro conquistou o sétimo título da Superliga Masculina/Eliezer Esportes/Agência i7/Divulgação CBV

DECEPÇÃO

Ainda sobre o naipe masculino, sem dúvidas, a maior decepção da temporada foi o Vôlei Renata/Campinas. O time do interior paulista teve um começo ruim na competição, com 3 derrotas, nos três primeiros jogos. Para piorar, uma série de lesões acometeram o time, em um momento de recuperação. Nem a estrela do jovem ponteiro Adriano foi capaz de resolver os problemas da equipe. Além disso, algumas peças não renderam o esperado. A eliminação para o Sesi/SP nas quartas-de-final foi justa. Sabendo das dificuldades, o Vôlei Renata/Campinas anunciou o retorno do técnico Horácio Dileo para a próxima temporada.

O jovem ponteiro Adriano é uma das apostas da nova geração do vôlei brasileiro/Divulgação Vôlei Renata

ALTOS E BAIXOS

Já a temporada feminina, foi marcada pela irregularidade. O Minas teve um péssimo começo, com lesões e surto de COVID-19. Demorou para se recuperar. Durante quase toda temporada, viu o rival Praia levar três títulos. Porém, na hora da verdade, os valores individuais da equipe fizeram a diferença. O Minas conquistou o tetracampeonato da Superliga Feminina.

O Minas superou muitas dificuldades para conquistar a Superliga Feminina 2021/2022/Inovafoto/Divulgação CBV

Já o Praia, fez o caminho oposto. Começou a temporada ganhando tudo, terminando a fase regular da Superliga na liderança. Já no mata-mata do torneio, não correspondeu às expectativas, sendo quase eliminado pelo Flamengo. Fato é que sua principal atacante, a oposta dominicana Martínez, jogou no sacrifício. Mas, a queda de rendimento nas finais não pode ser apagada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s