CONTRA EUA, BRASIL REECONTRA SEU JOGO

Os brasileiros comemoram ponto/Divulgação FIVB

Pela Olimpíada de Tóquio 2020, em partida válida pelo grupo B da competição, contra os Estados Unidos, o Brasil reencontrou o seu jogo. Jogando na Ariaki Arena, pela 4ª rodada do grupo, os brasileiros recuperaram o bom voleibol apresentado na VNL 2021, na vitória contra os americanos, por 3×1, com parciais de 30/32, 25/23, 25/21, 25/20. O Brasil não vencia os Estados Unidos, pelos Jogos Olímpicos, desde a semifinal de Atenas 2004. Lucarelli foi o maior pontuador do Brasil com 19 pontos. Anderson dos Estados Unidos marcou 22 pontos.

Após a partida, o central Lucão comentou sobre a vitória na área de imprensa. “Começamos um pouco mais nervosos hoje, cometendo erros meio bobos, mas depois tivemos cabeça. Quando conseguimos equiparar, a equipe cresceu. Fizemos o nosso melhor jogo de pressão de saque no adversário e quando isso acontece complica para qualquer equipe. Se mantiver essa pressão de saque vai ajudar bastante o nosso time já que, nesse nível em que estamos jogando aqui, quanto melhor conseguir sacar, melhor”.

Na última rodada da 1ª fase da competição, o Brasil enfrenta a França, no sábado, 31 de Julho, às 23h, com transmissão da TV Globo, SPORTV e BandSports. Já os Estados Unidos jogam contra a Argentina, no Domingo, 1º de Agosto, às 9h45 da manhã.

O central Lucão no serviço/Divulgação FIVB

RESUMO

Os brasileiros começaram a partida apáticos. Os norte-americanos abriram 5×0 no placar. O técnico Renan Dal Zotto foi obrigado a parar o jogo logo no começo. O Brasil ganhou confiança confirmando 4 pontos em contra-ataques. Em seguida, passou a frente no placar. Os Estados Unidos empataram com agressividade no serviço. A partir deste momento, brasileiros e norte-americanos trocaram bolas, até o fim da primeira parcial, após 40 minutos, com vitória dos Estados Unidos.

Na segunda parcial, o Brasil melhorou no aproveitamento ofensivo, com ataques de meia-força ou largadas. O sistema defensivo dos Estados Unidos aguardava no fundo de quadra, as bolas amortecidas pelo seu bloqueio. O Brasil errava pouco, enquanto os norte-americanos arriscavam tudo no serviço, cometendo erros. A diferença da parcial, a favor do Brasil, esteve nos pontos diretos de bloqueio e saque.

Após a vitória na parcial anterior, o Brasil voltou ainda melhor. Com boa distribuição do levantador Bruninho, os atacantes das extremidades aumentaram sua eficiência. Enquanto isso, os Estados Unidos tinham dificuldades com o bloqueio brasileiro, dado o bom aproveitamento do Brasil no serviço. Foram 3 pontos diretos no fundamento na parcial. No fim, deu Brasil, 2×1 no jogo.

Os Estados Unidos voltaram ligados para o 4º set. O Brasil não permitiu que o placar desgarrasse. A disputa era boa. Os norte-americanos abriram 3 pontos. Os brasileiros começaram a subir bolas. Os centrais dos Estados Unidos não pontuavam. O jogo brasileiro fluiu como nunca na Olimpíada, os Estados Unidos tentou uma reação na parcial, mas não teve como, o Brasil virou o jogo para 3×1, saindo de quadra com vitória.

🇧🇷BRASIL Bruninho (2), Wallace (17), Leal (18), Lucarelli (19), Lucão (12), Maurício Souza (4), Thales (L). Entraram: Cachopa (0), Alan (1), Maurício Borges (0), Isac (1). Técnico: Renan Dal Zotto

🇺🇸EUA Christenson (2), Anderson (22), Sander (18), Defalco (21), Holt (9), Stahl (7), Shoji (L). Entraram: Jaeschke (0), Muagututia (0), Smith (2). Técnico: John Speraw

O bloqueio brasileiro/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s