NO DOMÍNIO ADVERSÁRIO, BRASIL VENCE O JAPÃO

A seleção brasileira em comemoração de ponto/Divulgação FIVB

Pelos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, pela 3ª rodada da competição, em partida do grupo A, o Brasil venceu o Japão. Jogando no domínio adversário, na Ariaki Arena, as brasileiras superaram as japonesas, por 3×0, com parciais de 25/16, 25/18, 26/24. O bloqueio brasileiro foi o destaque do confronto. Foram 16 pontos diretos no fundamento. A central Carol e a ponteira Garay do Brasil lideraram na pontuação, com 13 pontos cada. Pelo Japão, a ponteira Ishikawa marcou 12 pontos.

A ponteira Natália, que entrou na partida como oposta, comentou sobre a vitória contra o Japão, após o jogo, na área de imprensa. “Nosso time jogou mais solto hoje desde o início do primeiro set. Essa vitória em três sets contra o Japão foi muito boa para a nossa confiança. É sempre muito difícil jogar contra as japonesas que têm um dos melhores sistemas defensivos do mundo e acaba sendo um teste de paciência. O grupo todo atuou muito bem”.

Na próxima rodada do grupo A, do torneio feminino de voleibol da Olimpíada, o Brasil terá o maior desafio da 1ª fase, diante da Sérvia, atual campeã mundial. O confronto está marcado para a madrugada sábado, 31 de Julho, às 4h25 da manhã, com transmissão da TV Globo, SPORTV e BandSports. Já o Japão disputa o clássico asiático com a Coreia do Sul, no sábado pela manhã, às 7h20 da manhã.

A central Carol fez uma boa partida contra o Japão, ela marcou 13 pontos/Divulgação FIVB

RESUMO

Para quebrar a linha de passe japonesa, o Brasil começou o jogo com um serviço agressivo. A vontade era tanta, que foram cometidos três erros no fundamento nesse início. Para compensar, as brasileiras bloqueavam muito bem, com 3 pontos diretos. Sem Koga, ela se contundiu no primeiro jogo da competição, as japonesas tinham muita dificuldade no ataque. O Brasil ganhava todos os rallys, em sequência. Com facilidade abriu 1×0 no placar.

Perdendo o jogo, a técnica Nakada mexeu em sua seleção. No entanto, o resultado era o mesmo. O Brasil criava chances de contra-ataques a partir do seu saque e bloqueio, confirmando os pontos. O domínio era tão grande que o técnico José Roberto aproveitou para testar Natália na saída de rede.

A partir da terceira parcial, o Japão encaixou seu jogo. Após as modificações, melhorou a virada de bola e aumentou seu volume de jogo. Chegou a estar na frente no placar. A parcial foi decidida ponto a ponto. Mesmo com Macris no banco, ela sofreu uma torção no tornozelo, o Brasil conseguiu fechar o jogo em 3×0.

🇯🇵 JAPÃO Momii (1), Kurogo (6), Ishii (11), Ishikawa (12), Araki (5), Shimamura (1), Kobata (L). Entraram: Okumura (1), Tashiro (1), Hayashi (8). Técnica: Kumi Nakada

🇧🇷 BRASIL Macris (3), Tandara (6), Gabi (11), Garay (13), Carol (13), Carol Gattaz (10), Brait (L). Entraram: Roberta (1), Natália (7), Ana Cristina (0), Rosamaria (0). Técnico: José Roberto Guimarães

A ponteira Natália entrou durante a partida como oposta/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s