DIÁRIO OLÍMPICO – episódio 3

No segundo dia de competições do vôlei masculino, pela Olimpíada de Tóquio 2020, o Brasil conseguiu uma virada espetacular contra a Argentina, pelo grupo B. Ainda pela mesma chave, vitórias do Comitê Olímpico Russo e da França. Pelo grupo A, Irã e Japão conquistaram a segunda vitória no torneio olímpico e a Polônia se recuperou do revés na 1ª rodada, com um triunfo contra a Itália. Confira os detalhes da segunda rodada dos Jogos de Tóquio 2020.

Episódio 3

Na abertura da rodada, pelo grupo A, o Irã enfrentou a Venezuela. Os iranianos confirmaram a boa fase, após a vitória contra a Polônia, na 1ª rodada, com mais um resultado positivo. Dessa vez, por 3×0, com parciais de 25/17, 25/20, 25/18. O oposto Ghafour foi o destaque individual na pontuação, com 16 pontos. Pela Venezuela, o ponteiro Willner marcou 15 pontos.

Na sequência de jogos do dia, pelo grupo B, o Comitê Olímpico Russo também venceu pela segunda vez nos Jogos de Tóquio. Diante dos rivais norte-americanos, os representantes russos saíram de quadra com um triunfo por 3×1, com parciais de 25/23, 27/25, 21/25, 25/23. Saque e bloqueio foram decisivos. O festival de pancadaria no serviço foi a tônica do jogo. O número de erros também. Foram 67 no total.

Os representantes russos comemoram ponto/Divulgação FIVB

Novamente pelo grupo A, dois favoritos ao pódio olímpico, entraram em quadra: Itália e Polônia. As duas seleções fizeram alterações na equipe, em relação ao primeiro jogo. Como publicado no blog, mais cedo, os poloneses se recuperam da derrota na estreia, com um convincente 3×0, sobre a atual vice-campeã olímpica.

Encerrado o duelo de favoritos, foi a vez da França enfrentar a Tunísia. Após uma estreia decepcionante, contra os Estados Unidos, os franceses se reabilitaram. Com amplo domínio, rodando o elenco, a futura seleção do brasileiro Bernardinho venceu por 3×0, com parciais de 25/21, 25/11, 25/21. O oposto Patry e o ponteiro Clevenot lideraram na pontuação individual, com 12 pontos cada.

O ponteiro Clevenot/Divulgação FIVB

E finalmente, o Japão, dono da casa, jogou contra o Canadá. Em partida com muito volume de jogo e muitos rallys, os japoneses superaram os canadenses. O placar final do confronto ficou em 3×1, de virada, com parciais de 23/25, 25/23, 25/23, 25/20. Nishida foi o destaque com 23 pontos, seguido de Ishikawa e Perrin, com 22 pontos.

O oposto Nishida em ação/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s