O PRIMEIRO TÍTULO DO MINAS TÊNIS NA SUPERLIGA FEMININA

Em 2002, o Minas conquistou seu primeiro título da Superliga Feminina. O resultado foi fruto de um investimento da patrocinadora MRV, que durou quase dez anos. Para finalmente levantar a taça da competição, em 2002, o Minas reforçou-se com dois ícones do voleibol brasileiro feminino da época: Érika e Elisângela. Elas juntaram-se com a base do time formado em temporadas anteriores. Nada mais nada menos que Fofão, Pirv e Ângela Moraes. Pronto, estava completo o time favorito ao título da competição.

O time titular do Minas na temporada 2002: Fofão, Ângela Moraes, Érika, Ana Maria Volponi, Marina, Elisangela e Pirv.

Para completar o quadro, de uma grande temporada para o Minas, naquela edição de Superliga Feminina, o clube de Belo Horizonte inaugurou a sua nova Arena. A construção durou quase três anos. Quando da abertura das novas instalações, ficou claro o salto de qualidade do Minas. A nova Arena em nada ficou devendo aos principais complexos esportivos internacionais. Padrão de primeiro de mundo.

A Arena do Minas, inaugurada em 2002

Antes do início da temporada, era evidente que a única equipe capaz de derrubar o favoritismo do Minas seria o BCN/Osasco de José Roberto Guimarães, Virna, Carol Albuquerque, Valeskinha, Paula e Jaqueline. Além disso, um fato curioso aconteceu, pela primeira vez em anos, a Superliga teve o início marcado para o mês de Janeiro. A competição sofria com uma crise econômica, calotes de clubes de futebol, diminuição de participantes e baixo número de estrangeiros.

O time do Minas no pódio

Apenas 8 equipes disputaram o título da temporada: MRV/Minas, BCN/Osasco, Rexona, Campos, Macaé, Pinheiros, São Caetano e Buettner. O Minas liderou a fase regular. Porém, ao contrário do que se imaginava, a competição foi equilibrada. A surpresa da temporada foi a equipe de Macaé, que ficou em 5º lugar geral, graças ao desempenho da oposta Bia, quase desbancando Rexona e Campos do G4. Outro detalhe curioso é que essa foi a primeira vez que Bernardinho não dirigiu a equipe do Rexona. Ele resolveu dedicar-se exclusivamente à seleção brasileira masculina, sendo manager da equipe do Rexona. Em seu lugar no comando, entrou Hélio Griner.

Sem surpresas, o título da temporada foi decidido por Minas e BCN. No entanto, na série melhor de três, no primeiro jogo, o Minas fez uma partida abaixo das expectativas, sendo derrotado com facilidade, no ginásio José Liberatti, pelo Osasco, por 3×0, com parciais de 25/15, 25/18, 25/20. Paula Pequeno foi a maior pontuadora do confronto com 17 pontos. No link abaixo, você acessa o jogo 1 das finais.

Para complicar a situação do Minas, no jogo 2 da série, o Osasco abriu 2×0 no placar. Ou seja, o time foi derrotado em cinco parciais consecutivas. O título da temporada parecia escapar, mas em uma recuperação impressionante, o Minas virou o jogo 2 da série melhor de três, para 3×2, provocando o terceiro jogo, sem Pirv, contundida, e Érika em grande jornada. No link abaixo, você acessa o jogo 2 das finais.

Abalado, o BCN não teve forças para superar um Mineirinho lotado. Com o total controle da partida, o Minas foi campeão da Superliga Feminina 2002, pela primeira vez na história, com um triunfo por 3×1, e grande atuação da ponteira romena Cristina Pirv. No link abaixo, você acessa o jogo 3 das finais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s