AS ESTATÍSTICAS DA SUPERLIGA FEMININA

Depois de sete rodadas da temporada 2020/2021 da Superliga Feminina, com base nos dados estatísticos da CBV, é possível apontar alguns dos destaques individuais da competição. Nesse momento da disputa, a oposta dominicana Martínez do Praia lidera na pontuação com 111 pontos. Em 2º lugar, com 13 pontos a menos, está Tandara do Osasco. Fechando o top 3 na pontuação, aparece a central Thaísa do Minas com 83 pontos.

Já na média de pontos por set, a liderança pertence a jovem promessa do Sesc/Flamengo, Ana Cristina, com média de 4,85 pontos. Na 2ª posição, está a oposta dominicana Martínez do Praia, com 4,81 pontos de média. Em 3º lugar, outra estrangeira. No caso, a oposta azeri Polina Rahimova do Sesi/Bauru, com média de pontos de 4,67. É bom ressaltar, que devido a pandemia do coronavirus, algumas equipes estão com jogos atrasados, como o Sesc/Flamengo.

No fundamento ataque, os destaques nos números ficam por conta das centrais. Na 1ª colocação, a central dominicana Jineiry Martínez do Praia, com 63% de eficiência. No 2º lugar, a central Adenízia do Sesi/Bauru com 60% de aproveitamento. Em 3º lugar, a central Thaísa do Minas, com 58%, de 95 ações de ataque, ela colocou no chão 55.

As irmãs Martínez, destaques do Praia/Divulgação FIVB

No bloqueio, a central Thaísa do Minas, mais uma vez aparece bem ranqueada. Nesse fundamento, ela lidera as estatísticas da CBV, com média de 1,25 pontos por set. Na vice-liderança, Mayany do Osasco, com média de 1,17. Em 3º lugar, a central Carol do Praia, com média de 1,15. Nos números totais, as posições se invertem. Em 1º lugar, com 27 pontos de bloqueio, a central Mayany do Osasco. Na vice-liderança, a central Thaísa do Minas com 25 pontos de bloqueio até este momento da Superliga.

A central Thaísa do Minas, número 1 no bloqueio/Orlando Bento/MTC

No serviço, pela segunda temporada consecutiva, a azeri Polina Rahimova do Sesi, lidera com uma média de 0,73 pontos de saque por set. Nos números totais, ela também está em 1º lugar, com 11 pontos diretos no fundamento. Em 2º lugar, tanto na média, quanto nos números totais, aparece a ponta/oposta do Sesc/Flamengo, Ana Cristina, com média de 0,69 e 9 pontos diretos, até o momento.

Encerrando a leitura dos números da CBV, uma análise da recepção. Na liderança dos números, com 81% de aproveitamento, a líbero Nyeme do São Paulo/Barueri. Em 2º lugar, a líbero Camila Brait do Osasco, com 78% de eficiência no passe. Fechando o top 3, com 76% de eficiência, a ponteira Drussyla do Sesc/Flamengo.

O time dos sonhos da Superliga Feminina 2020/2021, até o momento, segundo a CBV, é formado pela levantadora Naiane do Osasco, a oposta Rahimova do Sesi/Bauru, as centrais Mayany e Camila Paracatu do Osasco, as ponteiras Dairot do Minas e Ana Cristina do Sesc/Flamengo, e a líbero Nyeme do São Paulo/Barueri.

Fonte: CBV

Um comentário sobre “AS ESTATÍSTICAS DA SUPERLIGA FEMININA”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s