SELEÇÃO BRASILEIRA FICA PRÓXIMA DO TÍTULO

Pela sétima rodada da Copa do Mundo de vôlei masculino 2019, o Brasil deu um passo importante rumo ao título da competição. Contra os Estados Unidos, em duelo decisivo, a seleção brasileira conquistou uma vitória incontestável, pelo placar de 3×0, com parciais de 25/23, 25/22, 25/17. O oposto brasileiro Alan e o ponteiro americano Russel lideraram a pontuação do jogo, com 16 pontos cada.

Com o resultado, os brasileiros venceram pela sétima vez, em 7 jogos no torneio, mantendo a ponta na tabela de classificação, com 21 pontos. O Brasil aguarda o confronto direto pelo ouro, com a Polônia, segunda colocada, pela nona rodada, no dia 13 de Outubro. Antes, a seleção brasileira enfrenta a Tunísia, nessa madrugada, 11 de Outubro, a partir das 2h, com transmissão do SPORTV 2.

Ao fim do duelo, o técnico brasileiro Renan Dal Zotto comentou sobre a vitória brasileira contra os americanos, com a assessoria da CBV. “Os Estados Unidos são um dos melhores times do mundo, que jogam juntos há muito anos e trabalham muito bem em todos os fundamentos. Hoje, o Brasil esteve em uma noite inspirada, jogando forte em todos os fundamentos, saque, bloqueio, muito agressivo. Consequentemente, uma defesa que estava tocando em quase todas as bolas”.

RESUMO

Brasileiros e americanos começaram o jogo em alto nível. Somente na primeira parcial, foram 6 pontos diretos de saque, 3 para cada lado, e poucos erros no fundamento. Em um duelo equilibrado, disputado ponto a ponto, a diferença na parcial, em favor do Brasil, esteve no bloqueio e no número de erros. Os americanos cederam 5 pontos em erros, contra 4 do Brasil. Os brasileiros ainda marcaram 2 pontos de bloqueio. Os Estados Unidos nenhum.

Na parciais seguintes, o Brasil melhorou no aproveitamento de contra-ataques. Além disso, o bloqueio foi ainda mais efetivo, seja em pontos diretos ou em bolas amortecidas. Mesmo sacando um pouco melhor, os americanos não conseguiram realizar a leitura correta no bloqueio, graças a boa distribuição de Bruninho. A linha de passe brasileira também foi muito bem, dadas as circunstâncias do serviço agressivo americano.

Com o andamento do jogo, os Estados Unidos perderam a paciência na virada de bola e cederam mais pontos em erros. No fim, o fator de desequilibro da partida foi a relação saque-bloqueio-defesa. Enquanto os americanos sacavam um pouco melhor, o Brasil tinha mais volume de jogo, subindo quase todas as bolas no fundo de quadra, devido à boa marcação de bloqueio.

EUA Christenson (2), Anderson (7), Russel (16), Muagututia (11), Holt (8), Smith (2), Shoji (L). Entraram: Stahl (1), Ma’a (0), Tuaniga (0), Patch (0). Técnico: John Speraw

BRASIL Bruninho (2), Alan (16), Leal (15), Lucarelli (11), Lucão (10), Maurício Souza (4), Thales (L). Entraram: Cachopa (0), Filipe Roque (0). Técnico: Renan Dal Zotto

A seleção brasileira comemora a vitória/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s