BRASIL PERDE INVENCIBILIDADE NA COPA

A seleção brasileira feminina de vôlei não foi páreo para a Holanda. Em seu terceiro jogo válido pela Copa do Mundo 2019, o Brasil perdeu a invencibilidade na competição. De forma incontestável, as holandesas derrotaram as brasileiras pelo placar de 3×0, com parciais de 25/23, 25/21, 25/22. Em uma jornada espetacular, a oposta holandesa Sloetjes foi o grande destaque individual do jogo. Ela anotou 25 pontos. Pelo lado brasileiro, a também oposta Lorenne foi a maior pontuadora, com 12 pontos.

Mesmo com o revés, o Brasil manteve a 5ª posição na tabela, com 2 vitórias e uma derrota, 5 pontos no total. Já a Holanda está na vice-liderança com 3 vitórias, em 3 jogos, 9 pontos. Na próxima rodada da Copa, na manhã de quarta-feira, 18 de setembro, a seleção brasileira enfrenta o Quênia, a partir das 6h, com transmissão do SPORTV 2. As holandesas jogam contra os Estados Unidos, na madrugada de terça-feira para quarta-feira, ás 2h.

Ao fim do jogo, o técnico José Roberto Guimarães conversou sobre a derrota brasileira com a assessoria da CBV. “Tenho que parabenizar a Holanda que fez um excelente jogo, principalmente no sistema defensivo. Cometemos alguns erros na relação entre o bloqueio e a defesa. As holandesas tiveram mais conjunto, leitura e discernimento para decidir algumas bolas. A Lonneke fez uma partida excepcional com 25 pontos e poucos erros. Foi um jogo importante para aprendermos para o futuro”.

RESUMO

Brasil e Holanda iniciaram a partida com um saque agressivo, dificultando a virada de bola das duas seleções. A diferença estava no aproveitamento dos ataques. Enquanto a Holanda saía-se melhor nas bolas altas, o Brasil tinha dificuldades com a defesa e o bloqueio holandês. Com o avançar do jogo, as holandesas estabilizaram seu passe e as brasileiras perderam eficiência no serviço. Em alguns momentos, ainda na primeira parcial, o bloqueio brasileiro conseguiu equilibrar as ações do duelo com a Holanda.

No entanto, com o passar do jogo e o passe na mão, durante as parciais seguintes, a levantadora holandesa Bongaerts deitou e rolou na distribuição. O Brasil não pontuou mais no bloqueio, foi inoperante e não conseguiu fazer a leitura do jogo no fundamento. O volume de jogo holandês, principalmente na defesa, incomodou o ataque brasileiro. Ofensivamente, as principais atacantes do Brasil foram neutralizadas. Tudo deu certo para a Holanda. Em noite inspirada de Buijs na recepção e de Sloetjes no ataque, o Brasil não teve muitas chances de mudar o panorama da partida.

HOLANDA Bongaerts (2), Sloetjes (25), Belien (9), Koolhaas (10), Buijs (13), Grothues (3), Schoot (L). Entraram: Lohuis (0), Luttikhuis (0). Técnico: Jamie Morrison

BRASIL Macris (1), Lorenne (13), Fabiana (5), Bia (4), Gabi (12), Drussyla (12), Leia (L). Entraram: Roberta (0), Sheilla (3), Amanda (0), Carol (0). Técnico: José Roberto Guimarães

A oposta holandesa Sloetjes, em comemoração de ponto/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s