RESUMO DA COPA – dia 1

Teve início nesse sábado, 14 de setembro, a edição de 2019 da Copa do Mundo de vôlei, na categoria feminina, no Japão. Doze seleções disputam o título da competição no formato round robin. O país com maior número de vitórias será declarado campeão. O torneio vale pontos para o ranking internacional e nessa edição irá distribuir premiação recorde. No entanto, pela primeira vez desde 1989, a Copa do Mundo não dará classificação olímpica aos vencedores.

Rodada

Na abertura da Copa, na cidade de Hamamatsu, os Estados Unidos, atual bicampeão da Liga das Nações, venceu o Quênia pelo placar máximo, com parciais de 25/14, 25/20, 25/14, sem muitas dificuldades. A oposta americana Drews foi a maior pontuadora do confronto com 14 pontos.

Na outra sede, na cidade de Yokohama, a seleção da Rússia também não teve muita resistência para derrotar o outro país africano da Copa, no caso Camarões. Com parciais de 25/14, 25/15, 25/10, as russas saíram de quadra com o triunfo pelo placar máximo. Koroleva e Voronkova marcaram 13 pontos cada, sendo o destaque da partida na pontuação.

No terceiro jogo do dia, a seleção holandesa que não disputava a Copa do Mundo desde 1995, há 24 anos, bateu a Argentina por 3×0, com parciais de 25/16, 25/17, 25/19. O técnico da Holanda, Jamie Morrison, demonstrou confiança no desempenho de seu time, em coletiva de imprensa dada para a FIVB depois do jogo.

“Primeiro, isso é um começo. Eu acredito que podemos melhorar um pouco mais. Acho que deixamos espaço no bloqueio e a qualidade do sistema defensivo não estava bem esta noite. Nós iremos melhorar a medida que o torneio avançar”.

Já a China, atual campeã da Copa do Mundo e medalha de ouro nos Jogos do Rio 2016, também passou sem sustos sobre uma de suas principais rivais no continente asiático, a Coréia do Sul. A vitória ocorreu por 3×0, com parciais de 25/21, 25/15, 25/14. Como não poderia ser diferente, a chinesa Ting Zhu foi a maior pontuadora da partida com 22 pontos.

Encerrando a rodada, depois do triunfo brasileiro sobre a Sérvia no tie-break, na sede de Hamamatsu, o Japão não deu chances para a República Dominicana, na cidade de Yokohama. Mesmo com o relaxamento no 3º set, as japonesas provaram serem uma das candidatas ao pódio da Copa, após bateram as dominicanas por 3×1, com parciais de 25/21, 25/11, 24/26, 25/14.