SELEÇÃO FEMININA CONQUISTA VAGA OLÍMPICA

image

A seleção brasileira feminina de vôlei conquistou a vaga olímpica para os Jogos de Tóquio. A classificação foi garantida após vitória sobre a República Dominicana, em partida válida pelo grupo D do Pré-Olímpico Feminino, disputado em Uberlândia. No duelo derradeiro contra as dominicanas, depois de abrir vantagem de 2×0 no placar, o Brasil venceu o jogo no tie-break, com parciais de 25/22, 25/19, 23/25, 18/25, 15/10. A jovem oposta Lorenne do Brasil foi a maior pontuadora do confronto com 22 pontos. Pela República Dominicana, Brayelin Martínez foi o destaque. Ela anotou 20 pontos. Com a derrota para o Brasil, as dominicanas irão disputar o Pré-Olímpico Continental da Norceca, no mês de janeiro, em busca da participação nas Olimpíadas, em 2020.

Ao fim da partida, a oposta Lorenne conversou com assessoria da CBV sobre o jogo decisivo contra as dominicanas. “Estava muito ansiosa para essa partida. Tínhamos perdido a última vez que jogamos contra elas e enfrentei muito essas jogadoras na categoria de base. Estou muito feliz com essa vitória. É uma realização grande estar dentro de quadra ajudando esse time. Quero agradecer a confiança do grupo e principalmente da Gabi que está sempre do meu lado. Jogamos como um grupo e esse é o diferencial do Brasil. Agora é treinar para crescer cada dia mais como equipe”.

RESUMO
Em um jogo nervoso, com disputas intensas por cada ponto, Brasil e República Dominicana apresentaram muitas variações táticas dentro da própria partida. Nas duas primeiras parciais, as brasileiras dominaram as ações com força no sistema defensivo. O serviço brasileiro foi o grande responsável pelo alto aproveitamento dos contra-ataques. As dominicanas sofriam com a instabilidade na recepção. A ponteira dominicana Rivera era caçada no saque. Para fugir da marcação do bloqueio, a levantadora Macris do Brasil surpreendia na distribuição. A oposta Lorenne era muito eficiente no ataque.

Perdendo por 2×0, o técnico da República Dominicana, Marcos Kwiek mudou o sistema tático de sua equipe. Ele deslocou Brayelin Martinez da saída de rede para a entrada. A oposta reserva Gonzales entrou em seu lugar na posição. Kwiek também fez trocas simples de centrais por três vezes. Para completar, ele compôs a linha de passe com uma central, escondendo Martinez na recepção. Deu certo. Com mais estabilidade no passe, as dominicanas ganharam confiança no seu jogo e a levantadora Marte ganhou em opções no ataque. O bloqueio dominicano iniciou a leitura correta e dificultou a virada de bola brasileira.

Enquanto isso, o Brasil perdeu eficiência no saque e na recepção, além de ceder pontos em erros. Pressionada pelo serviço dominicano, a seleção brasileira saiu do jogo. O técnico José Roberto Guimarães fez algumas mudanças sem resultados. Ele inverteu a rede e colocou Natália no lugar de Tandara na ponta. Não deu certo. A República Dominicana dominava o duelo com uma quarta parcial quase perfeita. O jogo estava empatado, 2×2.

No tie-break, era visível a tensão das duas seleções. As dominicanas abriram uma pequena vantagem no começo, mas o Brasil conseguiu recuperar com eficiência no serviço. A falta de consistência na recepção acometia as duas seleções pelo nervosismo. Com Natália na ponta, José Roberto fez a inversão de rede com Tandara de oposta. O Brasil encontrou o caminho para a vitória. As brasileiras recuperaram a confiança, abriram vantagem no placar e carimbaram o passaporte para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

BRASIL Macris (1), Lorenne (22), Gabi (18), Tandara (13), Mara (10), Bia (9), Leia (L). Entraram: Roberta (0), Paula Borgo (3), Amanda (0), Natália (3). Técnico: José Roberto Guimarães

REP. DOMINICANA Marte (3), Brayelin Martinez (20), De La Cruz (15), Rivera (6), Jineiry Martinez (6), Eve (9), Castillo (L). Entraram: Dominguez (0), Gonzales (7), Vargas (3), Arias (0). Técnico: Marcos Kwiek

OUTROS RESULTADOS
Grupo A Sérvia 3×0 Porto Rico 25/14, 25/20, 25/16
Grupo B China 3×1 Alemanha 25/22, 25/22, 21/25, 25/15
Grupo B Turquia 3×1 Rep. Checa 25/15, 25/22, 21/25, 25/17
Grupo D Azerbaijão 3×0 Camarões 25/17, 25/14, 25/20
Grupo E Coreia do Sul 3×0 México 25/21, 25/15, 26/24
Grupo E Rússia 3×0 Canadá 25/13, 25/21, 25/22
Grupo F Holanda 3×0 Quênia 25/17, 25/10, 25/10
Grupo F Bélgica 0x3 Itália 17/25, 16/25, 16/25

image
A celebração brasileira pela conquista da vaga olímpica/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s