OS ESTRANGEIROS DA SUPERLIGA MASCULINA

image

Em suas 25 temporadas, a Superliga, maior competição nacional de vôlei, sempre atraiu atletas estrangeiros para o Brasil, com certa frequência. No começo, aproveitando-se do cenário econômico do país e das oportunidades do mercado internacional, foi possível aos clubes brasileiros e seus jogadores esse importante intercâmbio. Com o passar dos anos, a chegada de novos patrocinadores, a lei de incentivo ao esporte, as conquistas das seleções nacionais e um novo boom econômico, a Superliga mudou de patamar.

Atualmente, mesmo em condições inferiores em termos monetários, é possível oferecer aos clubes brasileiros estrangeiros de bom nível técnico. Claro que, é impossível concorrer de forma equânime com o poderio financeiro das ligas europeias. Porém, o Brasil consegue atrair atletas para a disputa da Superliga com o seu Know-how. Outro fator preponderante, é o alcance do vôlei no país. O esporte é o segundo mais popular no Brasil.

Uma das evidências dessa constatação, é a presença na atual temporada do naipe masculino, de grandes nomes do cenário internacional. Com um dos mais altos investimentos da temporada, o Sada/Cruzeiro possui em seu elenco, o ponteiro americano Sander, um dos melhores do mundo na posição, e o central francês Le Roux, eleito para a seleção da Liga das Nações 2018.

Outro grande nome presente na competição, é o ponteiro argentino Conte do Taubaté. Aliás, os argentinos são a maioria entre os estrangeiros. Além dele, também disputam a Superliga, o levantador Uriarte do Taubaté, o ponteiro Toro do Caramuru, e o levantador González do Vôlei Renata/Campinas.

Outro país com bastante presença na história da Superliga é Cuba. Atletas cubanos de grande referência passaram pela competição. Eles sempre são uma boa aposta dos clubes para suprir carências ofensivas. Nessa temporada não poderia ser diferente. O oposto Daisel Quesada foi contratado pelo Campinas recentemente, no fim de 2018. Com currículo por outros clubes no Brasil, o também oposto Sanchez é um dos destaques da surpreendente campanha do Vôlei Itapetininga.

Uma das maiores saídas do mercado do vôlei é a liga universitária americana. Em algumas temporadas no Brasil, os jovens atletas americanos foram a solução para os clubes. Na temporada 2018/2019, o central Jarman Price do Itapetininga é um exemplo vivo da presença de jogadores universitários advindos dos Estados Unidos no Brasil.

Para encerrar a lista de estrangeiros na 25ª edição da Superliga Masculina, uma das contratações mais interessantes da temporada foi realizada pelo Sesc/Rio. Apesar de enfrentar problemas de contusão no começo, o ponteiro búlgaro Penchev é uma das melhores apostas do técnico Giovane Gávio para a temporada. Extremamente técnico, o ponteiro é uma das promessas da Bulgária para os próximos ciclos e um grande reforço da equipe carioca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s