EM SEMIFINAL PARELHA, ITÁLIA DERROTA CHINA

image

Em um jogo dramático, a seleção italiana feminina de vôlei venceu a China no tie-break, pela semifinal do Campeonato Mundial, e garantiu vaga na grande final da competição. Essa será a segunda final de Mundial disputada pelas italianas. A primeira foi há 16 anos atrás, em 2002, contra os Estados Unidos. Na decisão, a Itália vai em busca do bicampeonato mundial contra a seleção da Sérvia.

No jogo em que conquistou sua classificação para a final do Mundial 2018, a Itália derrotou as chinesas, atuais campeãs olímpicas, por 3×2, com parciais de 25/18, 21/25, 25/16, 29/31, 17/15. Com o resultado, a China irá disputar o 3º lugar contra a Holanda, na manhã de hoje, às 5h20 da manhã, com transmissão do SPORTV e do canal da FIVB na internet. Já a Itália duela com a Sérvia pelo título mundial, a partir das 7h20 da manhã, também com transmissão do SPORTV e do canal da FIVB na internet.

NÚMEROS
A oposta italiana Paola Egonu foi a grande responsável pela classificação da Itália para a final do Mundial 2018. Com uma atuação exuberante, ela marcou 45 pontos, sendo 39 de ataque, 1 de bloqueio e 5 de saque, uma marca histórica! Durante a partida, ela recebeu 88 bolas no ataque, um número absurdo que desafia os limites físicos de uma atleta. Seu aproveitamento no fundamento foi de aproximadamente 45%. Mas, não foi apenas o desempenho de Egonu o motivo para a vitória italiana.

Explorando a flutuação da linha de passe chinesa, a Itália conseguiu neutralizar a principal atacante chinesa, a ponteira Thing Zhu, melhor jogadora dos Jogos Olímpicos do Rio. Sua eficiência no ataque foi parecida com a de Paola Egonu. Porém, faltou a China outras opções de ataque. Para se ter uma ideia, a ponteira italiana Sylla terminou o jogo com quase o mesmo número de pontos do que a ponteira chinesa, maior pontuadora de sua seleção no jogo.

Mesmo variando com as centrais, a levantadora chinesa Ding não conseguiu superar o poderio do ataque italiano. As mudanças incessantes da técnica chinesa Lang Ping não funcionaram. As chinesas até conseguiram equilibrar o jogo no bloqueio, em alguns momentos. Mas ao final, a diferença foi abissal para a Itália no ataque, 80×60.

CHINA Ding (1), Gong (8), Yuan (16), Ni Yan (17), Zhu (26), Zhang (1), Wang (0). Entraram: Yingying Li (8), Hu (2), Di Yao (0), Zeng Chunlei (0). Técnica: Lang Ping

ITÁLIA Malinov (1), Egonu (45), Danesi (12), Chirichella (8), Sylla (23), Bosetti (9) De Gennaro (0). Entraram: Cambi (0). Técnico: Davide Mazzanti

image
A oposta italiana Egonu no ataque/Divulgação FIVB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s