BRASIL VENCE JAPÃO DE VIRADA

A seleção brasileira feminina de vôlei conquistou seu primeiro triunfo na Ligas das Nações contra o Japão. A vitória por 3×1, aconteceu de virada, com parciais de 22/25, 25/18, 25/23, 25/11. A oposta Tandara foi a maior pontuadora da partida com 25 pontos. Nesta quinta-feira, o Brasil enfrenta a atual vice-campeã olímpica, Sérvia, a partir das 15h, em Barueri, com transmissão do SPORTV e TV Globo. A seleção europeia está invicta, lidera a competição ao lado da China, e ainda não cedeu sets aos adversários.

RESUMO
Ao contrário do jogo anterior, o Brasil demonstrou um sistema defensivo efetivo. A relação saque-bloqueio-defesa foi crucial nos momentos decisivos. A seleção japonesa e a sua tradicional resistência na defesa não foi capaz de neutralizar a oposta Tandara. O bloqueio brasileiro se impôs. Foram 20 pontos no total.

O JOGO
O Brasil entrou em quadra com uma formação diferente do jogo contra a Alemanha. A central Carol deu lugar a Adenízia e Amanda foi titular na ponta. A partida se iniciou com uma disputa de rally. Com paciência, o Brasil dominava o Japão, porém não conseguiria sustentar a vantagem. Conhecido pela excelência na defesa, o Japão amortecia bolas no bloqueio, quando não pontuava. Foram três ao todo. Algo raro. O Brasil tentou parar o jogo e fazer a inversão na rede, mas não tinha jeito. Após um ataque de Tandara para fora, o Japão fechou o set em 25×22.

No 2º set, Gabi foi poupada pelo segundo jogo consecutivo. Drussyla entrou em seu lugar. Ela começou marcando um ponto de saque. O Japão cometia erros em sequência. O sistema defensivo brasileiro subia de produção substancialmente e parava o ataque japonês. Um ataque de Tandara atingiu 104 km/h. O Brasil administrava a vantagem aferida no começo do set. A ponteira Koga era destaque do Japão, mas não era páreo para Tandara. O Brasil fechou a parcial em 25×18.

O Japão trocou a sua formação titular com a entrada da experiente central Shimamura, no começo do 3º set. Um rally, vencido pelo Japão, em um ataque de Koga, durou 35 segundos, o mais longo da partida. A seleção japonesa mantinha uma frente no placar 7×4. Numa passagem no saque de Tandara, o Brasil se recuperou no set. O Japão pediu tempo. O jogo seguiu parelho até o vigésimo primeiro ponto, quando o Brasil abriu uma vantagem de 3 pontos. A equipe brasileira encaminhava para fechar a parcial, mas o Japão não se rendeu  e salvou dois set points. Em seguida, Roberta em uma distribuição surpreendente, levantou para Adenízia fechar o set em 25×23.

O Brasil começou o 4º set imprimindo o seu ritmo. O Japão cometia erros em excesso, fora do seu padrão de jogo. A seleção brasileira subia incontáveis bolas na defesa e intimidava as japonesas. A pressão era grande e o Brasil tinha quase dez pontos na frente. A técnica japonesa pediu dois tempos, quase em sequência. Nada dava certo para o Japão. O jogo ainda foi paralisado em 5 minutos devido a um erro da mesa. O Brasil manteve a concentração, para fechar o jogo, 25×11.

BRASIL
Roberta, Tandara, Gabi, Amanda, Adenízia, Bia, Suelen. Entraram: Macris, Monique, Drussyla e Jaqueline.

JAPÃO
Tashiro, Koga, Ishii, Okumura, Kanami e Aika. Entraram: Tominaga, Shimamura, Horikawa, Takahashi.

OUTROS RESULTADOS

Em Barueri, Brasil
Sérvia 3×0 Alemanha

Em Ningbo, China
China 3×0 Bélgica
Coréia do Sul 3×2 República Dominicana

Em Ekaterinburg, Rússia
Holanda 3×1 Argentina
Rússia 3×1 Tailândia

Em Lincoln, Estados Unidos
Estados Unidos 2×3 Turquia
Polônia 3×2 Itália

image
Gaspar Nóbrega/CBV

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s